Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Jogador do São José dos Campos, Douglas Souza anunciou a aposentadoria da Seleção Brasileira logo após os Jogos Olímpicos de Tóquio. Nesta semana, em entrevista ao ‘Profissão Repórter’, da Globo, o atleta citou uma situação que ajudou nessa decisão.

+ Os 6 signos mais infiéis do zodíaco
+ Cientistas descobrem nova camada no interior da Terra

Douglas relembrou um conselho recebido sobre sua orientação sexual após ser convocado para defender a amarelinha: ser ‘menos gay’.

“De certa forma tem, porque imagina você ser ali o único, sabe? O coloridinho. (…) Você acaba vivendo nesse meio, você recebe vários nãos: não pode fazer isso, não pode falar aquilo, não pode sei lá o quê. Eu mesmo, quando tive a minha primeira convocação da seleção, eu já ouvi muito isso”, iniciou.

De pessoas que andavam comigo, gostavam de mim, que falavam que eram meus amigos e falava tipo assim: tudo bem, você é gay, a gente gosta de você, mas quando você chegar lá na seleção, você não pode falar isso para ninguém, ninguém pode saber. Tem que fazer o machinho na frente do técnico. Tinha muito disso – concluiu.

Douglas disse ainda que as redes sociais proporcionaram ele ser quem realmente é.

“Esse Douglas que está na rede social hoje, meus amigos me conhecem assim há muitos anos. Só que as outras pessoas não. Não conheciam porque eu não permitia que as pessoas me conhecessem de verdade”, afirmou.

Após os Jogos Olímpicos, Douglas Souza se transferiu para o vôlei italiano onde saiu de forma surpreendente após apenas 10 partidas pelo clube que o acusou de abandono. O jogador alegou dificuldades na adaptação e disse que gostaria de cuidar da ‘saúde mental’.