Economia

Dólar recua em geral, com percepção de que Fed pode cortar juros adiante

O dólar caiu em geral nesta quarta-feira, 19, após o Federal Reserve (Fed, o banco central americano) manter a taxa básica de juros, mas sinalizar cautela e que pode relaxar sua política monetária mais adiante. Nesse quadro, a libra se fortaleceu, em meio ao processo para escolher o próximo líder do Partido Conservador, que será consequentemente o substituto da premiê Theresa May no Reino Unido.

No fim da tarde em Nova York, o dólar caía a 108,14 ienes, o euro avançava a US$ 1,1229 e a libra tinha ganho a US$ 1,2649. O índice DXY, que mede o dólar ante outras moedas principais, registrou queda de 0,54%, a 97,117 pontos.

O Fed não alterou a política monetária neste momento, mas disse que atuará para sustentar a expansão econômica, além de alertar para o aumento das incertezas no quadro. O gráfico de pontos da instituição mostra que a maioria dos dirigentes espera manutenção da taxa até o fim deste ano e um corte em 2020, mas a comunicação do BC foi lida por investidores em geral como um reforço na chance de um corte na taxa mais adiante, o que tende a pressionar o dólar. Diante disso, a moeda americana foi pressionada em geral, batendo mínimas à tarde.

Na Europa, a libra se fortaleceu. Além do movimento do dólar, investidores monitoraram os dados de inflação no Reino Unido e também o processo para a escolha do próximo líder trabalhista. A votação do dia teve novamente à frente o ex-prefeito de Londres Boris Johnson, com apoio de 143 legisladores. Além disso, na manhã desta quinta-feira o Banco da Inglaterra (BoE, na sigla em inglês) anuncia decisão de política monetária.

Tópicos

moedas