Economia

Dólar mantém tendência de queda ante rivais, apesar de indicador positivo

Em sessão volátil, o dólar recuou levemente na comparação com rivais, mas se fortaleceu ante emergentes, apesar de um indicador referente ao mercado de trabalho americano vir melhor que o esperado. Os investidores também acompanharam as negociações em Washington para um novo pacote fiscal.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Próximo ao fechamento das bolsas de Nova York, o euro avançava a US$ 1,1871 , enquanto o dólar caía 105,59 ienes. O índice DXY, que mede a variação do dólar ante cesta de seis rivais fortes, encerrou em baixa de 0,09%, a 92,788 pontos.

Nesta quinta, 6, o índice começou em leve alta e oscilou durante o pregão. Pela manhã, o Departamento do Trabalho dos EUA informar que os pedidos de auxílio-desemprego nos Estados Unidos recuaram 249 mil na semana encerrada em 1º de agosto, a 1,1 milhão. A queda surpreendeu analistas consultados pelo Wall Street Journal, que previam 1,4 milhão de solicitações.

“O dólar precisa de mais de um dado pontual para ajudar a aliviar a forte pressão de venda”, afirma o analista de mercado Joe Manimbo. A desvalorização recente da moeda dos EUA, segundo analistas, é causada pela percepção de que a Europa vai sair antes da crise econômica.

“O panorama da economia mostra melhorias que coincidem com a trajetória do vírus. Em julho, os estados que reabriram tiveram uma segunda onda de casos, o que implica que o mercado de trabalho vai melhorar à medida que a disseminação da covid-19 desacelerar”, analisa o analista Edward Moya, da Oanda.

À tarde, a moeda americana perdeu ainda mais força depois que o presidente americano, Donald Trump, afirmou que o governo trabalha em um decreto executivo com algumas medidas de estímulos fiscais, entre elas corte na folha de pagamentos. Republicanos e democratas seguem em impasse em relação aos termos de um novo pacote.

No final da tarde em Nova York, a libra avançava a US$ 1,3139. O Banco da Inglaterra (BoE) anunciou hoje a manutenção da taxa básica de juros em 0,1% e do tamanho do programa de compras de ativos em 745 bilhões de libras. No comunicado, a autoridade monetária projetou que o Produto Interno Bruto (PIB) do Reino Unido terão contração de 9,5%, menos que a retração de 14% prevista anteriormente. “O tom mais otimista do Banco pode impulsionar a libra a novas altas”, explica o Western Union.

Ante emergentes, o dólar subia a 22,4062 pesos mexicanos, 72,6861 pesos argentinos e a 17,4513 rublos russos, no final da tarde em Nova York.

Veja também

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

Tópicos

moedas