Economia

Dólar cai com dados da ADP e novo pacote de estímulos dos EUA no foco

O dólar opera em baixa, sob influência do exterior, mas chegou a subir de forma pontual em meio a ajustes de posições tendo em vista um pano de fundo de cautela local com possível novo corte da Selic hoje e o déficit fiscal público. Os investidores operam na expectativa de um acordo, em breve, em torno do novo pacote de estímulos fiscais em negociação no Congresso dos Estados Unidos.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

O índice DXY do dólar, que mede as variações da moeda ante seis divisas fortes, atingiu as mínimas intradia logo após a divulgação do relatório de empregos no setor privado norte-americano.

Os EUA criaram 167 mil empregos no setor privado em julho, bem abaixo da expectativa de analistas, que previam criação de 1 milhão de postos de trabalho no último mês. Por outro lado, a geração de empregos de junho sofreu uma forte revisão para cima, de 2,396 milhões para 4,314 milhões.

A pesquisa da ADP é considerada uma prévia do relatório de emprego (payroll) dos EUA, que inclui dados do setor público e será divulgado nesta sexta-feira (07). Além disso, a balança comercial norte-americana registrou um déficit de US$ 50,7 bilhões em junho, maior do que o previsto pelos analistas (-US$ 50,3 bilhões).

No mercado local, há um compasso de espera pelo desfecho da reunião do Comitê de Política Monetária (Copom), após o fechamento dos negócios. Investidores esperam por um corte de 25 pontos-base da Selic, para 2,00%, e de uma sinalização sobre se o ciclo de afrouxamento monetário chegou ao fim. Ontem, a curva de juro precificava 26% de chance de mais um corte de 25 pontos-base em setembro.

As 9h58, o dólar à vista caía 0,29%, a R$ 5,2699. O dólar futuro para setembro recuava 0,26%, a R$ 5,2740.

Mais cedo foi divulgado que o Índice de Preços ao Consumidor – Classe 1 (IPC-C1) subiu 0,50% em julho, depois de uma alta de 0,33% em junho, segundo a Fundação Getúlio Vargas (FGV). O indicador é usado para mensurar o impacto da movimentação de preços entre famílias com renda mensal entre 1 e 2,5 salários mínimos.

Veja também

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

Tópicos

dólar