Economia

Dólar avança ante iene e euro com assinatura de pacto EUA-China no radar

O dólar avançou ante o iene e o euro, mas recuou ante a libra, um dia antes da assinatura da “fase 1” do acordo comercial entre os Estados Unidos e a China, marcado para amanhã durante cerimônia em Washington.

Perto do horário do fechamento das bolsas de Nova York, o dólar avançava a 109,96 ienes, o euro caía a US$ 1,1133, e a libra registrava alta a US$ 1,3026. O índice DXY, que mede a variação da moeda americana ante uma cesta de seis rivais fortes, fechou o dia em leve queda alta de 0,03%, a 97.372 pontos.

A proximidade da assinatura do pacto comercial sino-americano deu força ao dólar em boa parte do pregão, mas a moeda americana piorou ante rivais após a notícia de que os Estados Unidos manterão as tarifas adicionais sobre produtos da China até depois das eleições no país.

Além disso, hoje o secretário do Tesouro dos Estados Unidos, Steven Mnuchin, e o representante comercial do país, Robert Lighthizer, afirmaram que todos os aspectos do acordo de “fase 1” com a China serão divulgados amanhã, durante assinatura. Eles também afirmaram que ainda não há acordo para reduções futuras em tarifas impostas por Washington a Pequim. Ontem, os EUA decidiram retirar a China de uma lista de países que manipulam o câmbio.

Em relatório enviado a clientes, o Western Union afirma que “a redução das incertezas globais minou a demanda pelo iene”. O banco acrescentou que o ponto de foco da semana é mesmo o pacto comercial entre EUA e China.

Ante divisas emergentes, o dólar recuava a 18,8101 pesos mexicanos e a 14,4081 rands sul-africanos, mas avançava a 59,9919 pesos argentinos, no final da tarde em Nova York.

Tópicos

moedas