Economia

Dólar à vista sobe com alerta da Fitch sobre reformas e fiscal; EUA está no radar

O dólar segue em alta no mercado à vista nesta quinta-feira, acompanhando a tendência no exterior e após o alerta da agência Fitch de que se não ocorrerem reformas tributária e administrativa em 2021 o rating do Brasil tende a ficar sobre pressão de baixa dado o problema fiscal do País. Na quarta-feira, o dólar fechou em alta com o aumento da cautela internacional pelo agravamento da covid-19 nos EUA.

Está no radar dos investidores uma reunião hoje do presidente Jair Bolsonaro com líderes do governo no Congresso para tratar da agenda do Congresso Nacional. O líder do governo no Senado, Fernando Bezerra, (MDB-PE), disse que cortes em incentivos e subsídios são os “candidatos naturais” para bancar o programa de renda pretendido pelo presidente Jair Bolsonaro. A sugestão, porém esbarra no teto de gastos, a regra que impede que as despesas cresçam em ritmo superior à inflação, e no tempo necessário para aprovação de medidas no Congresso. No projeto orçamentário do próximo ano, o governo prevê R$ 307,9 bilhões em gastos tributários. São isenções, anistias, incentivos e outros benefícios que geram renúncia de arrecadação.

A proposta do líder do governo pode ser mal recebida por pequenos, médios e grandes empresários porque os cortes de incentivos e subsídios atendem em maior parte aos setores de comércio e serviços, saúde, indústria e agricultura, que enfrentam ainda dificuldades para se recuperar em meio aos impactos da pandemia de covid-19 na atividade econômica do País. Além disso, o corte causaria um efeito de arrecadação, mas, mesmo assim, não diminuiria as despesas sob o teto de gastos, conforme apurou o Estadão/Broadcast.

No exterior, o dólar sobe à medida que os investidores aguardam indicadores nos Estados Unidos. Às 10h30 saem os pedidos de auxílio-desemprego semanais, que podem deixar mais clara a situação do país ante a segunda onda de covid-19. As vendas de moradias usadas saem ao meio-dia.

De outro lado, o euro ampliou a queda mais cedo, influenciado pelo discurso da presidente do Banco Central Europeu (BCE), Christine Lagarde, no Parlamento Europeu. Ela indicou que os estímulos monetários permanecerão até que haja uma recuperação econômica e que as notícias de vacinas são encorajadoras, mas que o aumento de casos apresenta desafio. Lagarde também destacou que a inflação deve permanecer em território negativo no início de 2021. Já a libra opera em baixa à espera do desenrolar das negociações do acordo comercial com a União Europeia depois do Brexit.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Às 9h22 desta quinta-feira, o dólar á vista subia 0,29%, a R$ 5,3547. O dólar futuro de dezembro recuava 0,14%, a R$ 5,3575, com ajustes ao fechamento anterior bem acima do valor à vista.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Ex-jogadora de futebol, Madelene Wright, começa a vender fotos sensuais após ser demitida do time
+Iveco fornecerá 1.048 caminhões blindados 8×8 ao Exército Alemão
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ Modelo e atriz italiana paga promessa e posta foto ‘só de máscara’ após vitória da Lazio
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

Tópicos

dólar