Cultura

Do México ao Coachella: Ed Maverick, o adolescente que virou sucesso

Do México ao Coachella: Ed Maverick, o adolescente que virou sucesso

O cantor mexicano Ed Maverick (foto) - AFP

Até pouco tempo atrás, nem o México nem o mundo tinham ouvido falar de Ed Maverick, um adolescente do estado mexicano de Chihuahua que começou sua carreira musical tocando bateria na igreja que frequentava, e depois em apresentações em casamentos e festas de quinze anos.

Porém, aos 19 anos, o cantor subirá em abril ao palco do aclamado festival Coachella, na Califórnia. O sucesso do seu trabalho foi progressivo desde que começou a compartilhar suas músicas tristes e sinceras na internet, em 2018, nas quais rompe o estereótipo de homem latino que não expressa sentimentos.

Em menos de um ano, as músicas pop-folk do músico autodidata saltaram de mil para cem mil reproduções diárias no Spotify, depois do lançamento do seu primeiro disco, “Mix pa llorar en tu cuarto” (Seleção para chorar no quarto, em tradução livre).

O seu maior hit, “Fuentes de Ortiz”, tem mais de 150 milhões de reproduções em várias plataformas de música e fala das inseguranças e incertezas do amor juvenil.

Ed Maverick “é o artista mexicano que faz música pela qual vale a pena chorar”, indicou o Spotify em publicação recente sobre o artista.

A América Latina é a região onde o streaming mais cresce por causa da sua população jovem e concentra o maior uso de celulares, segundo informações da Federação Internacional da Indústria Fonográfica (IFPI).

“As pessoas gostaram (…) Elas se conectam muito com as músicas e se identificam facilmente, a maioria pessoas da minha idade”, explica Eduardo Hernández Saucedo – seu nome de registro – em entrevista à AFP em Nova York.

O sucesso, no entanto, incomoda um pouco esse jovem tímido e sensível. Com a fama, ele tinha se mudado para a Cidade do México, mas há poucos meses voltou para Delicias, sua cidade natal, com apenas 150 mil habitantes, no estado Chihuahua, a 400 km da fronteira com os Estados Unidos.

“A verdade é que não gosto de nada disso. Não gosto de nada sobre a fama, não consigo digeri-la e nunca vou gostar dela. Se pudesse fazer música e conseguisse que as pessoas não me reconhecessem seria genial, mas não é assim”, lamenta.

O músico lotou teatros no México, e em novembro terminou sua primeira turnê pelos Estados Unidos, com sete shows esgotados.

Ed Maverick acaba de lançar um disco ao vivo e a Universal Music relançou seu primeiro CD, “Mix pa llorar en tu cuarto”, premiado com um Disco de Ouro no México.