Geral

‘Dizem que sou louca’, relata mulher que casou com boneco de pano e ‘deu à luz’ um bonequinho

Crédito: Arquivo pessoal

A mineira Merivone Rocha Moraes ganhou notoriedade nacional ao se casar, em dezembro de 2021, com o boneco de pano Marcelo, em Rio Paranaíba (MG). No dia 21 de maio deste ano, ela “deu à luz” ao bonequinho Marcelinho. “Dizem que eu sou louca, mas não me importo”, relatou a mulher para a revista Crescer.

Ela ressaltou que as pessoas da pequena cidade mineira viram a sua barriga crescer e o “parto” foi transmitido ao vivo pelas redes sociais. Inclusive, Marcelinho tem um quarto todo decorado.


“(O parto) aconteceu em um cenário criado por mim, na sala da minha casa. Minhas amigas foram as “enfermeiras” e “médicas”. Foi um parto normal e teve tudo: ultrassom, batimentos cardíacos, chorinho do bebê, aferição de pressão e até desmaio do Marcelo! Eu fiz todo o procedimento de um parto. Teve contrações, soro, injeções, as pulseiras com os nossos nomes… não faltou nada! Eu tive meu cartão de pré-natal e Marcelinho tem até certidão de nascimento. Foi transmitido ao vivo pelas redes sociais e por uma rádio local. Mais de cem pessoas assistiram. Foi um “parto surreal”, lindo, como se fosse de verdade!”

Arquivo pessoal

Agora, ela e o marido se dedicam em animar as festas juninas. “Marcelo e eu estamos nos apresentando e animando as festas juninas. E Marcelinho nos acompanha no carrinho, claro.”

Reprodução/Instagram

Contudo, Merivone inventou essa brincadeira para conseguir sair do aluguel e ter uma casa própria para morar com os dois filhos. Ela atua como diarista e dançarina de forró no programa “Domingão da Santinha”, que é transmitido ao vivo pelas redes sociais de uma rádio local.

Ela informou que recebe mensagens ofensivas nas redes sociais, mas, ao mesmo tempo, também ganha incentivos.

“Eu inventei um teatro que chamou atenção de todos porque é diferente, é algo lindo, que alegra as pessoas. Elas têm interagido com a nossa história e estão vendo como é bom ‘viver uma vida de teatro’ no meio desse mundo difícil, dessa correria do dia a dia, de dívidas, problemas, depressões”, finalizou.