Comportamento

Diversões perigosas

O que causou a morte de um radialista no toboágua recém-inaugurado do Beach Park, maior parque aquático do País

Crédito: Divulgação
AVENTURA TRÁGICA O gigante Vainkará, projetado e testado por empresa canadense. Abaixo, Ricardo Hill: hemorragia fatal ao bater a cabeça em barreira (Crédito:Divulgação)

A mais nova atração do Beach Park, o complexo aquático perto de Fortaleza que já recebeu 15 milhões de visitantes em 32 anos, atende pelo desafiador nome de “Vainkará”. O toboágua de 150 metros foi inaugurado no sábado 14, com a presença da atriz Mariana Ximenez e do humorista Wellington Muniz, conhecido como Ceará. Dois dias depois da festa, o radialista Ricardo José Hilário Silva, 43 anos, morreu no brinquedo. Ele se desprendeu da boia que usava antes de mergulhar na piscina, de onde foi retirado pela segurança desacordado e sangrando. Um laudo divulgado na terça 17 atestou que ele sofreu uma hemorragia intracraniana fatal. Conhecido como Ricardo Hill, ele apresentava um jornal na rádio Nova Brasil FM, em São Paulo, e passava férias com a esposa Silvia e a filha de oito anos. Na hora de descer, Ricardo compartilhou uma boia com os turistas Mateus Sena, Tarcísio Pontes e Michele Laverde, que estavam na fila. Mateus e Tarcísio saíram ilesos, Michele sofreu escoriações no braço e no peito. À BandNews, Tarcísio Pontes afirmou que viu Ricardo bater a cabeça na barreira antes de se soltar. “A boia só virou na saída do brinquedo”, afirmou. Uma das hipóteses é que os monitores não prestaram atenção ao limite de 320 quilos de peso por boia.

Divulgação

Gravidade zero

O escorregador foi interditado e passará por perícias que vão determinar as causas do acidente. O Vainkará demorou dois anos e meio para ser desenvolvido e testado pela empresa canadense de atrações aquáticas ProSlide. Com 25 metros de altura e descidas em ângulos de até 90 graus, criadas para dar sensação de gravidade zero, o brinquedo deveria oferecer lazer radical com segurança — o que não ocorreu. O Beach Park lamentou a fatalidade, afirmando que possui equipes treinadas e alvarás em dia, além de prestar assistência aos familiares da vítima. Apesar da tragédia, o local foi reaberto na quarta 18, dia do sepultamento de Ricardo Hill em Sorocaba (SP).