Ditadura Federativa do Brasil

Com papai doente, o filho aguçou o dente. A democracia é lenta, tuítou! Mas logo o General em exercício na Alvorada falou que não era nada; e a Procuradora Geral, que ainda não deu o fora, disse que não era agora. Mas o alarme soou. Não tem mais dúvidas. Na família Bolsonaro, Carlos não gosta da democracia, mesmo quando foi ela que o colocou no poder.

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Foi assim que ele escreveu. “Por vias democráticas a transformação que o Brasil quer não acontecerá na velocidade que almejamos… e se isso acontecer. Só vejo todo dia a roda girando em torno do próprio eixo e os que sempre nos dominaram continuam nos dominando de jeitos diferentes! — Assinado: Carlos Bolsonaro. Me pareceu solene e eu fui ler de novo. Concordo! É verdade. A velocidade é inimiga da democracia. Tudo é mais rápido na ditadura. Não é preciso pedir autorização para ninguém!

Era assim em 1974, quando foram necessários apenas 476 brasileiros (dos mais de 100 milhões então) para escolher o presidente da República. Esses privilegiados faziam parte de um colégio eleitoral montado pelo governo militar para garantir a posse de mais um general no poder, Ernesto Geisel, que foi eleito com 400 votos, contra 76 dados a Ulysses Guimarães, do Movimento Democrático Brasileiro, que se lançou como “anti candidato” para marcar (o)posição.

Hoje, quase 180 milhões de pessoas podem eleger o presidente, o que faz do Brasil uma das maiores democracias do planeta. Mas, 34 anos depois, será que a nossa democracia de massas, moderna e vigorosa, feita de instituições fortes e de imprensa livre, é um caminho sem volta? Ou existem perigos maiores que os tuítes da família Bolsonaro?

Somando enrosco e encrenca, os filhos do Presidente são um problema crescente. Falam de mais e usando as redes sociais enfraquecem o Pai que não precisava tanta distração na dificílima tarefa de governar o Brasil.

Apenas Millôr Fernandes diria melhor. Fique tranquilo seu Carlos Bolsonaro, você pode dormir descansado. Porque se “Democracia é quando eu mando em você e Ditadura quando você manda em mim”…. tá tudo certo. já é assim!

Veja também

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Após foto “com volume” ser derrubada no Instagram, Zé Neto republica imagem usando bermuda

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Morre mãe de Toni Garrido: “Descanse, minha rainha Tereza”

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Com maiô cavado, Scheila Carvalho ostenta corpo musculoso aos 47 anos

+ A Fazenda 2020: Peões ficarão 24 horas sem água encanada devido a punição por drink de álcool em gel

+ Aprenda a preparar o Chevette, drinque que virou febre em SP

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea


Sobre o autor

José Manuel Diogo é autor, colunista, empreendedor e key note speaker; especialista internacional em media intelligence,  gestão de informações, comunicação estratégica e lobby. Diretor do Global Media Group e membro do Observatório Político Português e da Câmara de Comércio e Indústria Luso Brasileira. Colunista regular na imprensa portuguesa há mais de 15 anos, mantém coluna no Jornal de Notícias e no Diário de Coimbra. É ainda autor do blog espumadosdias.com. Pai de dois filhos, vive sempre com um pé em cada lado do oceano Atlântico, entre São Paulo e Lisboa, Luanda, Londres e Amsterdã.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.