Saúde da mulher

Atriz aposta em dieta de carne crua para melhorar a fertilidade; entenda

Crédito: Reprodução/Instagram

Recentemente, a atriz e cantora Heidi Montag, de 35 anos, revelou um método pouco comum para beneficiar sua fertilidade e saúde em geral: o consumo de carne crua

+ Paradoxo da carne: como seu cérebro lida com o consumo de animais


+ Os perigos do consumo de carne crua

A celebridade foi vista comendo, inclusive, órgãos crus. “Os órgãos são partes muito nutritivas dos animais. Comer fígado cru vai preservar o máximo de nutrientes possível”, declarou Heidi à revista “People”. 

“Eu me senti incrível com esta dieta. Muito mais energia, clareza, aumento da libido e melhora geral na dor crônica que tive”, continuou, acrescentando que espera que o hábito alimentar ajude com seus problemas de fertilidade. Entenda a prática com informações da “Women’s Health”.

Instagram will load in the frontend.

 Comer carne crua pode aumentar a fertilidade?

“A carne de órgãos é consumida por todo o mundo e é absolutamente rica em nutrientes. É uma boa fonte de ferro, vitamina B e folato”, garante a nutricionista Amanda Baker Lemein. No entanto, faltam evidências que comprovem que esse hábito alimentar possa melhorar a fertilidade.

Segundo Amanda, alguns nutrientes encontrados na carne de órgãos realmente estão envolvidos no processo de fertilidade. É o caso do folato — que pode prevenir malformações fetais — e da vitamina A, zinco e colina, que também ajudam no desenvolvimento do feto. Entretanto, esses nutrientes podem ser encontrados em outros alimentos além dos órgãos crus.

Quando se trata de uma dieta exclusivamente carnívora, a nutricionista especialista em fertilidade Whitney Gingerich alerta: “Você está excluindo muitas frutas boas para a saúde, vegetais repletos de antioxidantes e outros nutrientes de apoio à fertilidade. A carne contém muitos nutrientes, mas não todos que você precisa”.

Preparação e armazenamento são cruciais

As nutricionistas entrevistadas concordam que consumir carne crua pode ser arriscado. “Quando sua comida está sendo manipulada, ela é exposta a todos os tipos de bactérias”, diz Whitney. “Se você não cozinhar [a carne], você pode contrair qualquer número de doenças transmitidas por alimentos, variando de salmonela a E. coli.”

O armazenamento também é importante, pois as bactérias podem se desenvolver com mais rapidez se a carne estiver fora da geladeira ou em ambientes onde a temperatura esteja acima de 4ºC. Por isso, Amanda aconselha consumir proteínas cruas provindas apenas de fornecedores extremamente confiáveis.

“O que precisamos lembrar é que uma dieta saudável é aquela rica em nutrientes variados e fontes variadas de nutrientes. Isso inclui todos os diferentes grupos de alimentos”, finaliza Amanda.