Tecnologia & Meio ambiente

DiCaprio rebate acusações de Bolsonaro sobre queimadas

DiCaprio rebate acusações de Bolsonaro sobre queimadas

SÃO PAULO, 1 DEZ (ANSA) – O ator norte-americano Leonardo DiCaprio rebateu as acusações feitas pelo presidente Jair Bolsonaro de que teria doado dinheiro para criminosos que provocam queimadas na Amazônia.

“Neste momento de crise para a Amazônia, eu apoio o povo do Brasil que trabalha para salvar seu patrimônio natural e cultural. Eles são um exemplo incrível, comovente e humilde do compromisso e da paixão necessários para salvar o meio ambiente”, afirmou o ator, em nota divulgada no sábado (30). “O futuro desses ecossistemas insubstituíveis está em jogo e tenho orgulho de apoiar os grupos que os protegem. Embora dignas de apoio, não financiamos as organizações citadas. Continuo comprometido em apoiar as comunidades indígenas brasileiras, os governos locais, cientistas, educadores e as pessoas que estão trabalhando incansavelmente para garantir a Amazônia para o futuro de todos os brasileiros”, disse DiCaprio.

Na última sexta-feira (29), Bolsonaro acusou o ator de financiar as queimadas. “Quando eu falei que há suspeitas de ONGs, o que a imprensa fez comigo? Agora, o Leonardo DiCaprio é um cara legal, não é? Dando dinheiro para tacar fogo na Amazônia”, afirmou Bolsonaro. Em um vídeo em suas redes sociais, Bolsonaro atacou DiCaprio outra vez. “O pessoal da ONG, o que eles fizeram? O que é mais fácil? Botar fogo no mato. Tira foto, filma, a ONG faz campanha contra o Brasil, entra em contato com o Leonardo DiCaprio, e o Leonardo DiCaprio doa US$ 500 mil para essa ONG. Uma parte foi para o pessoal que estava tocando fogo, tá certo? Leonardo DiCaprio tá colaborando aí com a queimada na Amazônia, assim não dá”.

Bolsonaro se referia aos quatro brigadistas presos na região de Alter do Chão, no Pará. Segundo a polícia, eles provocaram incêndios e venderam imagens – que teriam sido usadas pela ONG WWF para conseguir doações. Essa investigação diz que DiCaprio doou US$ 500 mil para as ONGs.

Mas o Ministério Púbico informou que não há indícios do envolvimento dos brigadistas nas queimadas e investiga a ação de grileiros em Alter do Chão. A Justiça mandou soltar os quatro brigadistas e afastou o delegado do caso. As acusações de Bolsonaro contra DiCaprio repercutiram em vários jornais do mundo todo, principalmente nos Estados Unidos. A imprensa internacional publicou que o presidente não apresentou provas contra o ator, além de fazer campanha contra as ONGs.

(ANSA)