Geral

DF: Antes de matar a família, sargento da PM liga e avisa o batalhão sobre o crime

Crédito: Reprodução

Imagem ilustrativa (Crédito: Reprodução)


O sargento da Polícia Militar Nilson Cosme Batista dos Santos ligou para o batalhão em que trabalhava e avisou que iria matar a esposa, de 50 anos, e os filhos, de 16 e 21, na quinta-feira (10). O caso ocorreu na avenida Maranhão, região de Planaltina, Distrito Federal. A Polícia Civil trabalha com a hipótese de homicídio seguido de suicídio. As informações são do portal R7.

De acordo com o policial que atendeu o telefonema, o sargento Cosme, como era conhecido, estava nervoso e comunicou que iria matar a sua família. Na sequência, o agente ouviu disparos de arma de fogo e enviou uma equipe para a residência de Nilson.

Quando chegaram ao local, os policiais militares viram fumaça saindo pela janela e, então, arrombaram a porta de entrada.

Um corpo foi localizado caído na sala de estar e próximo a um galão vazio, que passou por perícia para identificar o que continha.

Os outros três corpos foram encontrados nos demais cômodos da residência.

O Corpo de Bombeiros foi acionado e conseguiu conter as chamas depois de uma hora.

Segundo os peritos militares, todos os corpos estavam parcialmente carbonizados e tinham perfurações de pistola CZ 9mm, que pertence à Polícia Militar.

O que diz a PM

A Polícia Militar informou que o sargento Cosme tinha duas condecorações e recebia diversos elogios pelas atuações.

Também ressaltou que o agente não solicitou o seu afastamento ou atendimento médico-psiquiátrico.

“A PMDF possui rede credenciada do sistema de saúde da Polícia Militar, dispondo atualmente de clínicas de psiquiatria e de psicoterapia para atendimento. Além disso, a PMDF, por meio da Capelania Militar e do Centro de Promoção e Qualidade de Vida, vem promovendo cursos para a saúde mental do policial militar.”

Agora, o caso é investigado pela 16ª Delegacia de Polícia Civil (Planaltina).