Geral

DF: Justiça condena coronel que fez ataques homofóbicos contra PM gay

Crédito: Reprodução

A Justiça do Distrito Federal condenou o tenente-coronel Ivon Correa, da Polícia Militar, a pagar R$ 25 mil por danos morais ao soldado Henrique Harrison, de 29 anos. Na ação, o soldado pedia indenização após sofrer ataques homofóbicos depois de publicar uma foto dando um beijo em seu marido na cerimônia de formatura da PM. As informações são do jornal O Globo.


No total, o soldado protocolou 12 ações cíveis com pedidos de indenização contra colegas de farda, um bombeiro e civis. Conforme Harrison, os ataques cresceram ainda mais após o coronel levar o assunto a um dos grupos de Whatsapp da corporação. Henrique estava no grupo e acompanhou todos os comentários maldosos.

“Depois que o coronel divulgou nos grupos de Whatsapp, piorou muito, porque ele incentivou grande parte da tropa a fazer o mesmo. Eu vi em grupos todos falando muito mal de mim e do meu companheiro à época. Da simbologia que aquilo representou. Me chamando de criminoso. Ele deu voz a uma parcela machista da corporação que não foi pequena”, explicou Henrique em uma entrevista para o Uol.

Na sentença, o juiz Pedro Matos de Arruda, da 7ª Vara Cível de Brasília, afirma que na foto do beijo “não há representação de sexualidade, de lasciva, de ato libidinoso qualquer”.

Durante o processo, o tenente-coronel afirmou ter sido diagnosticado com transtorno misto ansioso e depressivo em razão da repercussão negativa causada pela exposição do seu áudio. No entanto, ele não apresentou laudo médico que comprovasse ter sofrido “grande abalo psicológico”.