Dez passos para tirar o Brasil da lama

O Brasil é dominado pela cultura da malandragem, por um Estado excessivamente intervencionista e inchado (além de ineficiente), por sindicalistas e burocratas poderosos demais, pela baixa produtividade — enfim, trata-se de um manicômio tributário antiliberal em que produzir riqueza é praticamente impossível. Luiz Felipe D’Ávila, em seu novo livro 10 Mandamentos, traça dez passos para nos tirar dessa lama. São eles:

1. “Adotarás o parlamentarismo como sistema de governo”. O Brasil precisa sepultar o regime presidencialista, que se tornou prejudicial para o povo, concentrando poder e alimentando o populismo;
2. “Criarás o verdadeiro federalismo”. É fundamental descentralizar o poder, aproximando-o do povo, com voto distrital e o fim da transferência de recursos do governo federal para municípios;
3. “Criarás servidores públicos movidos pelos princípios da meritocracia e da política de resultado”. É preciso dar autonomia para o servidor público, e cobrá-lo por isso, responsabilizando-o pelos resultados;
4. “Transformarás o Estado assistencial em um Estado prestador de serviço”. O assistencialismo criou uma legião de dependentes das benesses estatais, e em vez de uma rede básica de proteção, temos um forte incentivo à vida parasitária;
5. “Acabarás com o capitalismo de Estado e adotarás a economia de mercado”. O capitalismo de compadrio é o câncer de nossa economia, com grupos de interesses organizados em torno do poder em Brasília para obter vantagens como barreiras protecionistas e subsídios;
6. “Integrarás o Brasil à economia global e impulsionarás a exportação”. Manter nossa economia fechada significa blindar nossas empresas da competição global, o que impede nosso avanço;
7. “Educarás os brasileiros para o mundo globalizado”. Nosso sistema de ensino é um total fracasso, e não é por falta de recursos públicos. O aluno não aprende nada em sala de aula, e a ideologia tomou conta das escolas;
8. “Resgatarás a cidadania participativa”. Distanciar-se da política significa deixar o caminho livre para os grupos de interesses e os demagogos;
9. “Não abrirás mão dos ganhos da globalização”. A principal preocupação é com o nacionalismo, fazendo uma distinção entre ele e um patriotismo saudável, que pode garantir o sentimento de pertencimento aos indivíduos que compartilham de uma história comum;
10. “Resgatarás a credibilidade do Estado, a virtude da política e a defesa da democracia e da liberdade”. Basicamente um resumo dos demais mandamentos, fechando com uma mensagem de otimismo de que, juntos, as pessoas de bem podem derrotar a barbárie.
Se o Brasil seguir essa agenda liberal, então podemos voltar a sonhar com um futuro melhor para todos. Caso contrário, seremos engolidos pelos parasitas!

Veja também

+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ MasterChef: Fogaça compara prato com comida de cachorro
+ 10 coisas que os pais fazem em público que envergonham os filhos
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Veja os carros mais vendidos em outubro
+ Baleia jubarte quase engole duas mulheres em caiaque; veja o vídeo
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.