Esportes

Destaques da seleção campeã do Mundial sub-17 têm multas milionárias


O tetracampeonato mundial sub-17 conquistado pelo Brasil com vitória sobre o México por 2 a 1, no estádio Bezerrão, no Distrito Federal, apresentou aos torcedores uma nova safra de atletas que promete brilhar nos seus clubes e até mesmo pela seleção principal em um futuro próximo.

Artilheiro da equipe no Mundial, com cinco gols marcados, Kaio Jorge é mais um “menino da Vila” que surge com faro de gol. E a precocidade marca a curta carreira do camisa 9. Nascido em Pernambuco, aos 10 anos ele já estava atuando nas categorias de base do Santos e aos 16 fez sua estreia no time profissional.

Durante a parada para a disputa da Copa América, o jogador foi muito elogiado por Jorge Sampaoli no período de treinamentos da equipe. Seu primeiro contrato com o Santos foi assinado em janeiro, com duração de três anos e multa rescisória de 50 milhões de euros (R$ 231 milhões).

Depois de Vinicius Junior, Paquetá e Reinier, a bola da vez na Gávea é Lázaro. Desde os 8 anos na base do Flamengo, o atacante sempre mostrou faro de gol apurado nas categorias de base, mas no Mundial foi seu lado decisivo que despontou.

Na semifinal, foi ele que marcou aos 45 minutos do segundo tempo o gol da sua virada do Brasil sobre a França, depois dos europeus abrirem 2 a 0 no placar. Na final, a história se repediu. Acionado na etapa final, Lázaro balançou as redes aos 46 do segundo tempo e evitou que a decisão fosse para os pênaltis.

Ciente do talento que tem em mãos, o Flamengo já tem um acordo para assinar em março de 2020 uma renovação de contrato válido até 2025 e com multa de 80 milhões de euros (cerca de R$ 370 milhões).

Com nome inspirado no ex-meia argentino Juan Sebastián Verón, Gabriel Veron foi escolhido como melhor jogador do torneio. O jovem atacante do Palmeiras foi autor de três gols na competição e peça importante na decisão, em que sofreu o pênalti que resultou no primeiro gol da equipe comandada por Guilherme Dalla Dea e marcado por Kaio Jorge.

Nascido em 3 de setembro de 2002, Veron tem multa de R$ 60 milhões de euros (R$ 277 milhões) com o time alviverde e chegou a ser inscrito no Campeonato Paulista deste ano. Apesar de sua habilidade com a bola nos pés, ele já disse que quase foi para outra área quando estava em sua cidade natal, Assu, no Rio Grande do Norte: “É a vida do meu pai, ele é vaqueiro, cuida de vaca, cavalo, trabalha na roça. Tentei ser vaqueiro com ele, mas não consegui.”