Esportes

Destaque no Parajiu-Jitsu, Leo Saci vai treinar Judô na Umbra/Vasco

Com apenas 21 anos, o praticamente de artes marciais já superou um câncer ósseo e uma perna amputada para seguir escrevendo o seu nome no Parajiu-Jitsu e agora no Judô

Destaque no Parajiu-Jitsu, Leo Saci vai treinar Judô na Umbra/Vasco

Leo e Pablo Mello

+ SP deve receber cinco milhões de doses de vacina chinesa em outubro, diz Doria

Leonardo Ruan de Almeida Barboza, mais conhecido no esporte como “Leo Saci“, carrega em sua história superação e glórias. Com apenas 21 anos, o praticamente de artes marciais já superou um câncer ósseo e uma perna amputada para seguir escrevendo o seu nome no Parajiu-Jitsu. Mas, os desafios não param por aí. Nesta semana, o paratleta, que é faixa-marrom na arte suave, foi anunciado como reforço do time Umbra/Vasco de Judô.

Além de competir Jiu-Jitsu, Leo também vai treinar Judô com uma das principais equipes do país, em busca de novos desafios e aprimorar ainda mais o seu jogo. Em entrevista à TATAME, “Saci” comentou sobre esta nova fase na carreira e o que espera deste começo de caminhada.

– Eu só tenho a agradecer ao convite. Terei muito trabalho para me adaptar a essa nova carreira (Judô). Sei que todas as dificuldades serão superadas, graças aos professores que vão me ajudar bastante nesta temporada. Estou muito feliz com esse convite, porque o Judô agrega muito em minha vida. Se Deus quiser, em breve estarei não só nos campeonatos de Jiu-Jitsu, mas como de Judô também – disse Leo Saci.

Membro da comissão técnica da equipe situada na Barreira do Vasco, no Rio de Janeiro, o professor André Amorelli comemorou a filiação de Leo: – O Judô por si só, já é uma ferramenta de inclusão social, então, conseguimos trazer o Leo Saci, através do Pablo Melo, para o nosso esporte. Acredito que ele vai agregar muito com o conhecimento dele no Jiu-Jitsu. Já é um atleta com grandes títulos no Jiu-Jitsu, conseguindo fazer essa transição para o Judô, vamos colher bons frutos e grandes resultados – analisou o professor.

Importante nesta ponte entre o paratleta e a equipe Umbra/Vasco da Gama, Pablo Mello, que assessor especial da prefeitura Rio de Janeiro e entusiasta das artes marciais na Cidade Maravilhosa, destacou a importância do esporte como ferramenta de inclusão social.

– O esporte atrelado as artes marciais se mostra como algo horizontal, porque todas as pessoas se enxergam da mesma forma. O tatame é um espaço em que todos se colocam na mesma posição. Acho que isso é o mais incrível que destacar a solidariedade independente do lado social e financeiro”, apontou.

Veja também

+Após ficar internada, mulher descobre traição da mãe com seu marido: ‘Agora estão casados’

+ Por decisão judicial, Ciro Gomes tem imóvel penhorado em processo com Collor

+ Jovem é suspeita de matar namorado com agulha de narguilé durante briga por pastel

+ Baleia jubarte consegue escapar de rio cheio de crocodilos na Austrália

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea