Brasil

Deputado questiona ‘ajuda de custo’ de R$ 150 mil ao governador de Mato Grosso

O deputado estadual Lúdio Cabral (PT) protocolou requerimento para que o governador de Mato Grosso, Mauro Mendes (DEM) e o secretário da Fazenda, Rogério Luiz Gallo, deem satisfações sobre uma ‘ajuda de custo’ de R$ 150 mil encaminhada ao Gabinete do Executivo.

O parlamentar quer saber a fundamentação legal para o recebimento do recurso, o total de recursos recebidos no ano de 2019, a relação das despesas autorizadas a serem pagas com ele e o responsável pelo recebimento e ordenador das despesas autorizadas.

“O governador do Estado, senhor Mauro Mendes Ferreira, vem insistentemente anunciando a difícil situação financeira pela qual o governo do Estado vem passando, inclusive com medidas sendo tomadas para redução das despesas do poder executivo”, diz Lúdio Cabral. “É buscando sempre a transparência e a legalidade dos gastos públicos que solicito as informações acima.”

A notícia foi inicialmente informada pelo portal Isso É Notícia, que teve acesso ao registro de Liquidação nº 04102.0005.19.00091-1, classificado como ‘ajuda de custo de representação do governo’.

O documento é datado de 16 de agosto de 2019, mas refere-se à ‘regularização do 4º repasse efetuado pela Secretaria de Fazenda referente à verba de Gabinete do Governador no dia 17.05.2019’.

Ainda segundo o comprovante de liquidação, o repasse foi feito para a conta-corrente 1042680-9, agência 3834, do Banco do Brasil, que está em nome do Estado de Mato Grosso.

O valor total do empenho é de R$ 600 mil. Destes, R$ 150 mil já haviam sido pagos anteriormente, o que deixou um total de R$ 300 mil a pagar.

O responsável pela autorização do pagamento foi Wanderson de Jesus Nogueira, servidor em cargo comissionado no gabinete do secretário-adjunto de administração sistêmica.

O governador Mauro Mendes possui salário bruto de R$ 20.278,77, de acordo com os dados do Portal da Transparência.

COM A PALAVRA, O GOVERNO DE MATO GROSSO

“A verba do Gabinete do Governador é utilizada pela Governadoria para custear as despesas com segurança institucional, todos os eventos realizados pelo gabinete, os custos do gabinete de Representação de Mato Grosso em Brasília, a recepção de autoridades e chefes de estados, viagens (já que governador não recebe diária), entre outros. Quanto ao pedido de informação do deputado estadual Lúdio Cabral, do Partido dos Trabalhadores, será respondido dentro do prazo regimental.”