Comportamento

Deputado egípcio propõe testes de virgindade nas universidades

Deputado egípcio propõe testes de virgindade nas universidades

(Arquivo) Estudantes são vistos nos portões da Universidade do Cairo, no dia 11 de outubro de 2014 - AFP/Arquivos

Um deputado egípcio causou polêmica na Internet, após sugerir que as universidades do país deveriam submeter as estudantes a um teste de virgindade antes de sua admissão.

“Toda garota que entrar na universidade deve ser examinada para provar que é virgem”, afirmou na quinta-feira o deputado Ilhamy Agina em entrevista ao jornal Youm 7.

A declaração rendeu deboches nas redes sociais.

“Eu não tinha dito a vocês que ainda estávamos longe de tocar o fundo e que o pior está por vir?”, reagiu no Twitter Gamal Eid, um famoso advogado que dirige a Rede Árabe para a Informação sobre Direitos Humanos.

“Temos um membro do Parlamento obcecado por sexo”, indicou o jornalista Khaled Dawud.

Ilhamy Agina já tinha feito declarações controversas a favor da circuncisão feminina, também conhecida como mutilação genital feminina, uma prática proibida no Egito, mas muito difundida.

O deputado disse à AFP, nesta sexta-feira (30), que suas declarações foram mal interpretadas e que decidiu boicotar os meios de comunicação.

“As pessoas me atacam, e elas estão aborrecidas (…) Decidi não interagir com os meios”, afirmou.

“Não fiz uma petição, fiz uma sugestão. Há uma grande diferença”, acrescentou.

Segundo o deputado, o jornalista do Youm 7 tinha lhe perguntado sobre o papel do governo para acabar com a prática dos casamentos consuetudinários – união religiosa não oficial para os muçulmanos – e, então, ele sugeriu os testes de virgindade.