Brasil

Deputada do PSL alega que também recebeu ameaças de morte

Crédito: Reprodução/Facebook

Eleita com mais de 70 mil votos, a deputada federal Carla Zambelli (PSL-SP) diz ter recebida mensagens de morte dos mesmos autores das ameaças feitas ao ex-deputado Jean Wyllys, que renunciou ao cargo no início do ano. As informações são do site Universa.

Zambelli diz ter recebido mensagens enviadas por Emerson Rodrigues Setim, mesma pessoa que enviou ameaças a Jean Wyllys. A deputada afirma que ameaças de morte contra ela e o filho de 11 anos foram feitas por e-mail e que, agora, anda com escolta policial. Emerson Setim, o intimidador, já foi preso pela Polícia Federal em 2012 por racismo e divulgação de pornografia infantil e, no ano passado, foi denunciado pelo Ministério Público Federal por associação criminosa.

Emerson Setim é técnico em informática e faz parte, segundo a Polícia Federal, de um grupo organizado para agredir pessoas na internet. Em 2013, ele foi solto devido a um indulto atendido pela Justiça e, atualmente, vive na Espanha. A defesa do ex-deputado Jean Wyllys, inclusive, já teria informado o possível endereço de Emerson no país europeu, mas as autoridades não o procuraram até o momento.

A deputada Carla Zambelli alega que recebeu mensagens parecidas com as enviadas para Jean Wyllys, ameaçando de morte e falando sobre possíveis estupros. O autor ainda afirma que vai se matar após cometer o crime. Ela alega que as mensagens começaram quando retornou de uma viagem para a China com outros deputados do partido de Bolsonaro.