Depois de Weintraub, maquiar currículo parece pouca coisa

Crédito: Reprodução/ Twitter

(Crédito: Reprodução/ Twitter)

Carlos Alberto Decotelli da Silva assumiu ontem o Ministério da Educação e hoje enfrentou a sua primeira crise de imagem.

A informação de que se doutorou em Administração pela Universidade Federal de Rosário, na Argentina, foi contestada pelo reitor da universidade hermana.

No começo da tarde, pelo Twitter, o reitor anunciou que Decotelli não havia concluído o curso.

Horas depois, o site O Antagonista publicou a seguinte nota: “O reitor da Universidade Nacional de Rosário, Franco Bartolacci, contou com exclusividade a O Antagonista que o novo chefe do MEC, Carlos Alberto Decotelli, foi reprovado no exame de qualificação pela banca de doutorado.”

Sendo essa a história, o pós-doutorado de Decotelli na Alemanha também fica sub judice.

É triste. O novo ministro vai se juntar à galeria das figuras públicas que acharam por bem maquiar seus currículos. Estará ao lado, por exemplo, da ex-presidente Dilma Rousseff, que também se viu forçada a corrigir informações sobre mestrado e doutorado na Unicamp.

Decotelli não precisa ter todas essas medalhas acadêmicas para ocupar a cadeira de ministro da Educação. Não é um requisito legal.

Mas tampouco se trata de uma irrelevância. Qualquer recrutador de RH dirá que mentir no currículo é coisa grave. A iniciativa privada não costuma perdoar esse tipo de “deslize” quando ele vem à tona.

Por ser o sucessor do anti-ministro Abraham Weintraub, de gestão infame, Decotelli talvez tenha uma chance de se redimir.

Primeiro, precisa se explicar com clareza e serenidade.

Precisará também seguir à risca aquilo que disse em sua primeira entrevista. Ele afirmou que não tem “competência ideológica” e que chega ao ministério com um único propósito: “trabalhar, trabalhar, trabalhar”.

Por fim, deve manter manter silêncio, silêncio, silêncio sobre tudo que não seja matéria técnica da Educação.

No país do bolsonarismo, as expectativas em relação ao governo se rebaixam continuamente.

Se seguir esse roteiro à risca, Decotelli poderá até gozar de leniência.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.