Ediçao Da Semana

Nº 2743 - 19/08/22 Leia mais

A cantora e atriz Demi Lovato abriu o coração recentemente sobre um estupro que sofreu ainda jovem. Ela disse que muitos de seus problemas e distúrbios alimentares foram causados pela violência sofrida e, que mesmo tendo denunciado o abusador a uma pessoa importante de Hollywood, ainda teve que contracenar com ele em um filme. O crime aconteceu quando ela saiu com o ator. Demi não planejava ter relações sexuais com ele, porque ela ainda era virgem.

Bernardo de Assis, ator trans de ‘Salve-se Quem Puder’, revela receber ameaças de morte

Ana Maria Braga comemora 72 anos e recebe homenagens no ‘Mais Você’

Mesmo sendo mulher e tendo entendido e se solidarizado com a condição de Demi, a pessoa acabou deixando de lado a denúncia feita pela cantora. “Ela disse, ‘não acho que ele deva estar no seu filme’. Mas isso tudo acabou jogado debaixo do tapete. Nada foi feito. A pessoa acabou ficando no filme. Eu compreendi, ‘meu deus, é isso que acontece o tempo todo na indústria'”, disse após ter entendido sobre o que se tratava movimento “#MeToo”, que teve início em 2018.

“Enquanto passava pelo meu tratamento contra os meus distúrbios alimentares, em 2010, concluí que a razão do progresso acelerado da minha doença era consequência de ter mantido o estupro em segredo. Quando isso ocorreu senti muita vergonha. Ficava martelando na minha cabeça: ‘você não é casada, você não é casada, você não é casada, você é ruim’. Passei três anos pensando ‘sou ruim, sou errada, sou suja’. É por isso que acabei internada”, finalizou a cantora em entrevista ao jornal britânico “The Times”.