ISTOÉ Gente

“Defendam o SUS”, diz Felipe Neto após cobrança de R$ 17 mil por consulta nos EUA

Crédito: Reprodução/Instagram

O youtuber Felipe Neto utilizou o Twitter nesta quinta-feira (01) para comentar uma situação muito desagradável que aconteceu durante sua estadia nos Estados Unidos em 2019. Ele revelou ter sido cobrado cerca de R$ 17 mil por uma consulta médica de 5 minutos em que o profissional apenas receitou um anti-inflamatório.

Eliana recebe críticas após participar de transmissão de futebol e desabafa

Fábio Porchat revela desejo de entrevistar Faustão e Roberto Carlos: “Meu maior sonho”

“Ano passado fiquei doente nos EUA e fui ao hospital. O médico me atendeu por cinco minutos e me passou anti-inflamatório. Me cobraram US$ 800 [o equivalente a R$ 4,5 mil reais]! Paguei”, começou o youtuber. “Dois meses depois, me mandaram cobrança residual de US$ 16 [o equivalente a R$ 90]. Paguei. Dois meses depois, disseram que faltou pagar US$ 500 [R$ 2,8 mil]. Não paguei”, continuou. Agora, ele mostra ter recebido uma cobrança de US$ 2,2 mil (R$ 12,4 mil). Felipe ainda disse para seus seguidores defenderem o SUS, que é de graça.

Veja o desabafo completo:


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ 6 fotos em que o design de interiores do banheiro foi um fracasso total. Confira!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel