Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Dirigente acostumado a frases de impacto e afirmações categóricas, o presidente do Athletico-PR, Mário Celso Petraglia, foi uma atração à parte durante a apresentação oficial de Fernandinho como reforço do Furacão.

>>> Semana de Libertadores! Saiba quais são os elencos mais valiosos das oitavas

No que diz respeito aos recentes episódios de violência envolvendo torcedores do clube, Petraglia foi taxativo ao comentar sobre a ideia que estaria tramitando em instâncias maiores de implementar, em todo o país, o conceito de torcida única. Além disso, o mandatário também comentou sobre a proposta que deve ser feita em breve para a torcida organizada ‘Os Fanáticos’ em relação a viagens futuras:

– Nós temos uma proposta que faremos para a torcida Os Fanáticos porque eles tem que pensar que vai virar torcida única, então eles não poderão viajar para nenhum estado. A grande dificuldade não é a torcida aqui, em Curitiba, é a torcida visitante que vem e quando eles são visitantes. Se eles prometerem não fazerem essas excursões malucas porque, lá fora, no mundo todo, é a imagem do Athletico Paranaense. O torcedor do Athletico que depredou, a torcida do Athletico Paranaense que fez isso, então é a nossa imagem que fica maculada. Então, nós vamos propor que eles terão bateria, faixas, caveiras, esses adereços todos, com a condição de que eles não façam mais essas excursões pra fora de Curitiba.

– Não há controle das torcidas em relação aos seus pertencentes porque são centenas de pessoas, é impossível ter esse controle. Eu sei que existe a ideia de punir somente os responsáveis, mas como você consegue identificar em meio a todos os outros, como separar o joio do trigo? Você pune meia dúzia e acabam surgindo outros 600, então é uma coisa interminável, então passamos a punir a instituição – acrescentou Petraglia.

O dirigente athleticano afirmou categoricamente que Fernandinho veio ao clube para atuar como meio-campista, chegando a pontuar que Felipão “certamente não vai utilizá-lo como zagueiro”.

Outros pontos abordados por Mário Celso Petraglia foram a consideração dos recentes títulos da Sul-Americana como sendo da “segunda divisão” do continente (entendendo que o projeto do clube é de conquista da Libertadores) e até mesmo a condição financeira inferior de outros clubes do país visando ressaltar a solidez do projeto do Athletico no cenário nacional.

Nessa análise, ele destacou os cenários de clubes como Santos (apontado como também tendo feito uma proposta por Fernandinho) e o Palmeiras, aproveitando para citar o anseio da equipe paulista em relação ao Mundial de Clubes:

– O Fernandinho veio pra cá também pelo nosso projeto porque não há igual. Podem fazer uma análise, do Rio Grande ao Nordeste, se tem algum projeto com a viabilidade do Athletico Paranaense. Os dois gaúchos, endividados. É um problema deles, não me compete, mas nós fazemos o benchmark de todos os clubes, todos os anos. No Paraná, não vou falar dos nossos co-irmãos, mas vocês conhecem muito bem. Pulei Santa Catarina porque não tem representatividade de clubes grandes.

– Você vai pra São Paulo. Falar em Santos? O Athletico passou o Santos de trator, só não passou naquilo que vocês tem consciência que levam décadas que é a formação de torcida. Mas, no resto, o que o Santos significa perto do Athletico? O Santos baixou seu teto porque está quebrado, o Corinthians baixou seu teto porque tem problemas, o São Paulo baixou seu teto, tanto que o Daniel (Alves) saiu de lá porque era um salário muito alto. Só quem mantêm o teto é o Palmeiras porque tem uma mecenas, a Leila, que quer ser campeã do mundo por conta da piada, do meme. Vá para o Rio de Janeiro, Flamengo, Fluminense, Vasco, Botafogo. Vá para Minas Gerais e esquece o resto. Então, não há projeto maior que o nosso – cravou.
– Ninguém tem um projeto melhor que o nosso. Nós tivemos a procura dos maiores bancos do mundo para serem os nossos advisors (consultores) na transformação para SAF e estamos trabalhando com o maior banco do mundo que é o Bank of America. Então nosso projeto é realmente ambicioso. Então, se continuarmos nesse caminho e tendo saúde, se Deus quiser, seremos um dos maiores clubes das Américas incluindo River Plate, Boca Juniors, Flamengo, Palmeiras e outros grandes clubes que representam o futebol sul-americano.