Mundo

Críticas de Boris Johnson a lares de idosos geram indignação no Reino Unido

Críticas de Boris Johnson a lares de idosos geram indignação no Reino Unido

As declarações provocaram indignação no Reino Unido, o país da Europa mais castigado pelo coronavírus, com mais de 44.000 mortes confirmadas e 54.000 se forem incluídos os casos suspeitos - POOL/AFP/Arquivos

O primeiro-ministro britânico, Boris Johnson, foi acusado nesta terça-feira (7) de distorcer a realidade, após sugerir que a negligência de algumas casas de repouso para idosos contribuiu para propagar a Covid-19 nessas instituições com várias mortes pela doença.

“Descobrimos que várias casas não seguiram realmente os procedimentos da maneira que poderiam ter feito”, disse o líder conservador em uma entrevista na segunda-feira (6).

Essas declarações provocaram indignação no Reino Unido, o país da Europa mais castigado pelo coronavírus, com mais de 44.000 mortes confirmadas, e 54.000, se forem incluídos os casos suspeitos.

Destes, 14.852 foram registrados em lares para idosos na Inglaterra e em Gales, conforme dados divulgados hoje pelo Escritório de Estatísticas Nacionais (ONS, na sigla em inglês).

A declaração de Johnson “foi grosseira e covarde, no melhor dos casos”, denunciou indignado o diretor da organização Community Integrated Care, Mark Adams, em entrevista à rádio pública BBC.

+ Exclusivo: como Prost fez Senna perder o contrato com a Ferrari

“Se esse é realmente seu ponto de vista, acho que estamos quase entrando em uma realidade alternativa kafkiana, onde o governo estabelece as regras, nós as seguimos, eles não gostam do resultado, então negam ter estabelecido regras e culpam as pessoas que se esforçaram para fazer todo o possível”, afirmou.

A diretora do National Care Home Forum, Vic Rayner, também reclamou desses comentários “totalmente inapropriados” e denunciou que os lares para idosos britânicos tiveram de “lidar com um número extraordinário de regras diferentes ditadas pelo governo quase diariamente”.

O ministro de Negócios, Alok Sharma, tentou defender Johnson, ao afirmar que ele não estava “culpando as casas de repouso”.

“O que o primeiro-ministro disse foi que ninguém sabia quais eram os procedimentos corretos, porque sabemos que a extensão dos casos assintomáticos não era conhecida até então”, disse à BBC.

Criticado por sua gestão da crise de saúde, o governo britânico foi acusado de não reagir a tempo para proteger os funcionários e os residentes das casas de repouso.

No início da pandemia, representantes do setor alertaram sobre a falta de equipamentos de proteção e do retorno, às vezes prematuro, aos estabelecimentos dos pacientes com Covid-19 que saíam do hospital.

Veja também

+ Marco Pigossi sobre reprise da novela Fina Estampa: “Tinha que ser proibida de ser reprisada”

+ Avó de Michelle Bolsonaro morre após 1 mês internada com covid-19

+ Nazistas ou extraterrestres? Usuário do Google Earth vê grande ‘navio de gelo’ na costa da Antártida

+ Avaliação: Chevrolet S10 2021 evoluiu mais do que parece

+ Grosseria de jurados do MasterChef Brasil é alvo de críticas

+ Carol Nakamura anuncia terceira prótese: ‘Senti falta de seios maiores’

+ Ex-Ken humano, Jéssica Alves exibe visual e web critica: ‘Tá deformada’

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Governo estuda estender socorro até o fim de 2020

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea

+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?