Mundo

Decana da Suprema Corte dos EUA, ‘RBG’ não tem mais nódulos cancerosos

Decana da Suprema Corte dos EUA, ‘RBG’ não tem mais nódulos cancerosos

Ruth Bader Ginsburg em Washington em 30 de novembro de 2018 - AFP/Arquivos

A presidente da Suprema Corte dos Estados Unidos, Ruth Bader Ginsburg, cujo estado de saúde alimenta especulações sobre uma possível renúncia, não tem mais nódulos cancerosos, informou nesta sexta-feira (11) uma porta-voz da instituição.

A magistrada progressista, de 85 anos, que se submeteu a uma cirurgia em dezembro, “está se recuperando desta operação”, disse Kathleen Arberg em um comunicado.

Ginsburg fez uma lobectomia pulmonar no Memorial Sloan Kettering Cancer Center de Nova York, em 21 dezembro de 2018.

“Os exames pós-operatórios mostraram que a doença tinha desaparecido e não precisava de nenhum tratamento adicional”, continuou Arberg.

Ruth Bader Ginsburg, que perdeu as audiências desta semana pela primeira vez desde que foi nomeada à Suprema Corte há 25 anos, continuará trabalhando de casa na semana que vem.

Os nódulos foram descobertos em 7 de novembro em exames de raios X e depois que a mulher caiu e fraturou três costelas.

Seus boletins de saúde são acompanhados de perto nos Estados Unidos, onde a magistrada é cultuada em círculos da esquerda por suas posições em defesa das mulheres e das minorias.

Seus partidários se preocupam com a escolha de um eventual sucessor, uma prerrogativa do presidente.

O republicano Donald Trump já nomeou dois juízes conservadores para o Tribunal Supremo desde sua posse, o que deixa os progressistas em minoria durante muitos anos.

A corte arbitra nos principais temas sociais, como o direito ao aborto, a regulamentação das armas de fogo, direito das minorias ou proteção ambiental.

Ruth Bader Ginsburg, nomeada em caráter vitalício como todos os juízes desta instituição, já afirmou que só se aposentaria quando não se sentisse mais capaz de trabalhar.