Embora tenha convite também do MDB, Randolfe Rodrigues, líder do governo no Congresso, deve retornar ao PT, ao qual foi filiado por 15 anos (1990 a 2005). O senador se desfiliou da Rede no último dia 18, após o Ibama ter negado licença ambiental para a Petrobras realizar pesquisas sobre a viabilidade de exploração de petróleo e gás na Foz do rio Amazonas, o que poderia beneficiar seu estado, o paupérrimo Amapá. Radolfe viu o dedo de Marina Silva nessa ação que “alija os amapaenses de saberem se a região tem ou não essa riqueza mineral”. Além de ministra do Meio Ambiente, a quem o Ibama é ligado, Marina preside a Rede, partido que abrigava o senador desde 2015. A legenda perde, assim, o único senador e fica apenas com o deputado Túlio Gadelha (PE) no Congresso.

Petrobras

Randolfe diz que há muitas inverdades sendo ditas no caso. A licença pedida não é para exploração, mas para pesquisa,
e as sondas da Petrobras estão a 580 quilômetros da Foz do rio Amazonas e a 172 quilômetros da costa brasileira. “Os moradores do Amapá, incluindo os povos originários, têm direito de saber se a riqueza mineral existe ou não.”

Pobreza

O líder do governo disse à ISTOÉ que, caso se confirme a existência de grande reserva de petróleo
e gás na região, a exploração deve ser feita sem nenhuma ameaça ao meio ambiente e aos ecossistemas do Amapá. “Vivemos no estado mais pobre do País, com 60% da população vivendo de programas sociais e o petróleo pode mudar essa dura realidade.”

Bolsonarismo sem rumo no Rio

De volta ao ninho
(Mauro Pimentel/ AFP)

Eduardo Paes é o grande beneficiado pela crise na extrema direita provocada pela desistência de Flávio Bolsonaro na disputa pela prefeitura do Rio em 2024. O senador vinha articulando sua candidatura e chegou a receber o apoio do governador Cláudio Castro, mas seu pai, o ex-presidente Bolsonaro, obrigou o filho 01 a desistir do páreo, após ver as pesquisas que favorecem a reeleição do atual prefeito.

Retrato falado

De volta ao ninho
Barbosa Pinto: “Não faz sentido tabelar os juros do cartão” (Crédito:Pedro Ladeira)

Marcos Barbosa Pinto, secretário de Reformas Econômicas do Ministério da Fazenda, disse ao “Globo” que o governo negocia com os bancos e com o BC formas para que os juros do cartão de crédito rotativo caiam, mas adverte que não faz sentido tabelar o setor, pois isso pode implicar aumento das tarifas e desequilibrar a economia. Afinal, a população utiliza o cartão de crédito para o parcelamento de suas compras sem juros e é uma das maneiras mais comuns de financiamento.

O agro salvador

Mais uma vez a agropecuária poderá salvar o desempenho da economia este ano. Em janeiro, os bancos projetavam um crescimento do PIB de 0,8% para 2023. Mas os resultados alcançados nos primeiros meses do ano foram mais animadores. A prévia do PIB avançou 2,41% no primeiro trimestre, elevando as previsões de crescimento para a faixa de 1,5% a 2%. E, novamente, os números positivos se deram em razão dos resultados promissores do agronegócio. Este ano, a safra deve totalizar um recorde de 302,1 milhões de toneladas, representando um aumento de 14,8% em comparação com 2022. Com isso, o PIB agrícola atingiu uma alta de 8,3%, muito acima do esperado.

Consumo estimulado

Economistas explicam que o consumo veio mais forte no primeiro trimestre em função dos impactos da transferência de renda motivada pelos programas sociais, como o Bolsa Família, mas que esse ritmo deve cair nos próximos meses diante dos efeitos negativos dos juros altos na economia.

Os bombeiros da Justiça

Para abrir canais de diálogo com ministros considerados bolsonaristas no STF, com os quais têm divergências, integrantes do grupo Prerrogativas, coordenado por Marco Aurélio de Carvalho e que reúne advogados lulistas, resolveram aparar arestas com André Mendonça, indicado por Bolsonaro, e se reuniram em jantar na sexta-feira, 20, em SP.

De volta ao ninho
(Divulgação)

Pacificação nacional

Realizado na casa do advogado Roberto Podval, o jantar reuniu cerca de 140 juristas, incluindo o ex-ministro Ricardo Lewandowski, com o objetivo de permitir a reconciliação do País, “ainda tão dividido pelo ódio”, segundo explicou Marco Aurélio. O grupo pretende agora convidar o ministro Kássio Nunes Marques para jantar semelhante.

Uma trader na gestão de museu em Sorocaba

De volta ao ninho
(Divulgação)

Conhecida nacionalmente como referência entre investidores do mercado financeiro, Carol Paiffer acaba de assumir a presidência do Museu de Arte Contemporânea de Sorocaba para um mandato de quatro anos. Seu principal desafio envolve a captação de recursos para reabrir a instituição, fechada desde as fortes chuvas registradas do interior paulista no final do ano passado.

Toma lá dá cá: entrevista com Orlando Morando, prefeito de São Bernardo do Campo

De volta ao ninho
Orlando Morando, prefeito de São Bernardo do Campo (Divulgação) (Crédito:Divulgação)

A crise do setor automobilístico tem prejudicado sua cidade, que tem três montadoras?
O governo precisa dar condições conjunturais para que o País inicie um ciclo de queda nos juros e supere essa crise de demanda.

Quais seriam as principais soluções para minimizar o problema?
Estive recentemente com o vice-presidente Geraldo Alckmin e representantes das montadoras e apresentamos pleitos como redução da carga tributária e subsídios nos juros para financiamentos de veículos pesados.

O que a prefeitura tem feito para estimular os negócios?
Temos investido na desburocratização para abertura de empresas e oferecemos incentivos fiscais, como descontos de até 30% no IPTU, para empresas geradoras de emprego.

Rápidas

* O ministro Luiz Marinho (Trabalho) usou de expediente bastante incomum para arrecadar fundos para o diretório municipal do PT de São Bernardo, seu reduto eleitoral. Realizou sua festa de aniversário no sábado, 20, pedindo contribuição de R$ 10 mil para cada convidado.

* A cassação de Deltan Dallagnol reforça a bancada bolsonarista na Câmara. Seu lugar será ocupado por Itamar Paim, que passa a ser o 100º deputado do PL na Câmara. Ele é pastor da Igreja do Evangelho Quadrangular.

* Os parlamentares alinhados ao Planalto, e que fazem parte da CPMI dos Atos Antidemocráticos, começam a articular a convocação de nomes ligados ao ex-presidente, como Michelle Bolsonaro e os generais Braga Netto e Augusto Heleno.

* Cesar Lira, primo de Arthur Lira, reforça o ditado popular de que quem tem padrinho não morre pagão. Foi nomeado superintendente do Incra em Alagoas por Temer, reconduzido por Bolsonaro e mantido por Lula.