Esportes

De uma só vez, China perde três ouros olímpicos por doping

A China contou com o auxílio de doping para vencer o quadro geral de medalhas dos Jogos Olímpicos de Pequim, em 2008. Nesta quinta-feira, o Comitê Olímpico Internacional (COI) anunciou mais uma leva de punições em consequência da reanálise das amostras de doping colhidas em 2008 e 2012 e, de uma só vez, tirou três medalhas de ouro conquistadas por atletas chinesas no levantamento de peso.

Com quatro medalhas douradas, a China dominou a competição feminina de levantamento de peso em Pequim. Agora, entretanto, terá que devolver três de suas medalhas, conquistadas por Xiexia Chen (até 48kg), Chunhong Liu (até 69kg) e Lei Cao (até 75kg). As três testaram positivo para as mesmas substâncias proibidas, conhecidas pelas siglas GHRP-2 e GHRP-2 M2. Das medalhistas chinesas no levantamento de peso, só Yanqing Chen, da categoria até 58kg, não perdeu sua medalha até agora, num indício de doping sistemático.

Em outras levas de punição, o COI já havia retirado o resultado de pelo menos outros 10 medalhistas do levantamento de peso de Pequim-2008, a maior parte deles mulheres. Rússia, Ucrânia, Casaquistão e Bielo-Rússia foram os países mais atingidos pelas punições anteriores.

Desta vez, também perderam seus resultados, por uso de doping, atletas da Turquia, do Azerbaijão e da Armênia, mas nenhum deles havia recebido medalhas nos Jogos de Pequim ou de Londres. Sibel Simsek, da Turquia, herdaria um bronze se não fosse, também ela, suspensa.

Além disso, a leva de punições aplicadas pelo COI nesta quinta conta com Nadzeya Ostapchuk, da Bielo-Rússia, bronze no arremesso de peso em 2008, e Darya Pchelnik, também bielo-russa, quarta no lançamento de martelo. Antes delas, suas compatriotas

Natallia Mikhnevich (prata no peso) e Aksana Miankova (ouro no martelo) já haviam perdido suas medalhas. Ou seja: ambas seriam subiriam degraus no pódio.