Cueca suja

Crédito: José Manuel Diogo

(Crédito: José Manuel Diogo)

Novíssimos lobos-guará infetados pelo vírus da corrupção, cobertos de pouca vergonha e ganância foram flagrados pela polícia entre as nádegas do senador. A Cueca do Chico Rodrigues estava cheia da grana suja.

O Brasil que a gente ama às vezes exala uma pestilência fétida, podre como um cheiro de hiena que ri. Verdadeiramente não é por acaso que na língua portuguesa “podre” e “poder” se escrevem com as mesmas letras.

E quando a gente pensa que nada podia ser pior, de novo a gente se engana. Quando acredita que a política já tinha já descido baixo ela baixa ainda mais. Literalmente até no escroto. Imagem risível e terrível — uma velha hiena de aleijado bigode que chora e ri ao mesmo tempo se explica no Twitter sem saber que está sendo metáfora de uma tristeza sem fim.

+ “Filho é um inferno e atrapalha”, diz Fábio Porchat sobre não querer ser pai

A cueca do Chico estava cheia de grana suja. 33 mil reais empaquetados no pacote do Rodrigues. Lobos-Guará de vergonha a pedir de voz de prisão. Lobos-guará Roraima, vereador. Lobos-guará Brasil, senador.

A Reuters dizia— “Brazilian police catch senator hiding cash between his buttcheeks” — A polícia Brasileira apanhou um senador escondendo grana entre as nádegas. E também o Washington Post, e a Deutsch Welle e o Diário de Notícias e o El País e o Le Monde. Circo montado, a cueca do senador virou bandeira do Brasil.

Dá dó ver a mídia internacional tirando sarro de você Rodrigues; porque nesse momento você não é só Chico é também Brasil. Brasil memória do bunker de Geddel. Lembra quando em setembro de 2017, a Polícia Federal descobriu, em Salvador, um apartamento do ex-ministro Geddel Vieira Lima que escondia R$ 51 milhões.

+ Polícia aborda ambulância com sirene ligada e descobre 1,5 tonelada de maconha

Memória da bíblia de Hernandes & Hernandes, marido e esposa, fundadores da Igreja Apostólica Renascer em Cristo, detidos em 2007 ao entrar nos Estados Unidos, pelo aeroporto de Miami, com US$ 56,4 mil não declarados.

Lembrança de Waldir Teis, conselheiro afastado do Tribunal de Contas do Estado de Mato Grosso, que em julho deste ano foi preso após ser flagrado pela Polícia Federal amassando cheques durante uma busca e apreensão em um escritório em Cuiabá. É muita grana!

Aí eu leio na IstoÉ, “Em caso de afastamento quem tem direito à cadeira do Chico é o administrador Pedro Rodrigues, também filiado ao DEM e primeiro suplente de Chico Rodrigues”. Isso é: passa a cueca pro filho!

Procurando esquecer tanta merda, leio uma pauta séria no Correio Brasiliense: “Leilão do Tesouro fracassa em dia de escândalo da cueca de vice-líder”. Viu?! Não vai ter grana na cueca do Guedes! Nem na mesa do Brasil!

Juro! Melhor deletar tudo isto, chutar o pau da barraca e curtir o futebol.

Veja também

+ A incrível história do judeu que trabalhou para os nazistas na Grécia
+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev
+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel
+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês
+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Educar é mais importante do que colecionar


Sobre o autor

José Manuel Diogo é autor, colunista, empreendedor e key note speaker; especialista internacional em media intelligence,  gestão de informações, comunicação estratégica e lobby. Diretor do Global Media Group e membro do Observatório Político Português e da Câmara de Comércio e Indústria Luso Brasileira. Colunista regular na imprensa portuguesa há mais de 15 anos, mantém coluna no Jornal de Notícias e no Diário de Coimbra. É ainda autor do blog espumadosdias.com. Pai de dois filhos, vive sempre com um pé em cada lado do oceano Atlântico, entre São Paulo e Lisboa, Luanda, Londres e Amsterdã.


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.