Ediçao Da Semana

Nº 2743 - 19/08/22 Leia mais

O Mundial de Esportes Aquáticos registrou mais um susto nesta quarta-feira, em Budapeste. Após o resgate de Anita Álvarez, americana que desmaiou durante a disputa do nado artístico na semana passada, agora foi a vez do cubano Luis Gustavo Cañabate gerar preocupação nos competidores e espectadores. Ele se acidentou enquanto competia na prova por equipes mistas dos saltos ornamentais.

Na hora de sua apresentação, Cañabate se lançou ao ar para efetuar um giro, mas caiu com o corpo na direção do trampolim e bateu com a perna nele, caindo de costas na piscina da Duna Arena. Os presente se sobressaltaram diante da cena, mas viram o cubano deixar a água sem nenhuma lesão aparente.

O erro deixou o competidor com uma nota zero. Antes disso, contudo, ele já havia celebrado um resultado importante no salto sincronizado de 10 metros, ao lado do companheiro Carlos Daniel Ramos, na terça-feira. A dupla cubana ficou em sexto lugar.

BRASIL FICA PERTO DO PÓDIO

Também nesta quarta-feira, Ingrid Oliveira, quarta colocada da plataforma individual na segunda, competiu na prova final das equipes mistas ao lado de Rafael Fogaça. Os dois alimentaram esperanças de pódio para o Brasil ao longo da competição, mas terminaram em sexto lugar. A vencedora foi a China, que subiu na primeira posição do pódio ao lado de França, em segundo, e Grã-Bretanha, em terceiro.

Mais tarde, Fogaça participou também da final do trampolim sincronizado misto. Desta vez, com Anna Lúcia dos Santos como companheira, terminou no 12º lugar, em mais uma prova encerrada com o ouro nas mãos da China. A Itália ficou em segundo e a Grã-Bretanha foi a terceira.