Esportes

CSA quer ampliar série positiva no Rei Pelé para sair da zona da degola

De volta à zona de rebaixamento do Campeonato Brasileiro, após passar apenas uma rodada fora dela, o CSA volta a campo nesta quarta-feira, quando recebe o Atlético-MG no estádio Rei Pelé, a partir das 19h15, pela 26.ª jornada. Depois da derrota por 1 a 0 para o Goiás, no último sábado, o time alagoano se apoia no bom retrospecto construído nos últimos jogos como mandante para terminar o dia fora do grupo da degola.

O CSA não perde em casa desde 12 de agosto, quando foi derrotado por 2 a 0 pelo Fortaleza. Desde então, jogou mais cinco jogos diante de sua torcida, começando com um empate diante do Cruzeiro, antes de emplacar uma série de quatro vitórias, contra Chapecoense, Ceará, Avaí e Internacional. Com 25 pontos, é a primeira equipe dentro da zona de rebaixamento, em 17.º lugar, a um ponto de distância do Ceará, o primeiro fora da degola. Uma vitória sobre os atleticanos garante uma fuga ao menos provisória, já que o Ceará jogará apenas na quinta-feira, contra o Santos.

“Agora, nós estamos na briga e toda partida é uma final. Essa sequência de jogos é muito pesada porque sofremos com a questão de logística. Por exemplo, precisamos sair de Maceió e ir a Brasília para chegar em Goiânia. Na segunda, temos que sair de Goiânia para São Paulo e depois voltar até Maceió”, disse o técnico Argel Fucks, reclamando das dificuldades de logística e da sequência de jogos.

O treinador deve fazer uma série de modificações no time. As mudanças devem começar com os retornos do zagueiro Alan Costa, do agora atacante Apodi e do lateral-direito Dawhan. Os dois primeiros foram poupados contra o Goiás e o último cumpriu suspensão automática. O volante João Vitor, recuperado de virose, também pode reaparecer entre os titulares.

O treinador terá de lidar com possíveis baixas. O goleiro Jordi está com dores no adutor da coxa direita e deve dar lugar a João Carlos. Já o atacante Ricardo Bueno, que ficou de fora contra o Goiás, pode ficar de lado mais uma vez se não estiver 100% recuperado de um estiramento leve na coxa.