Geral

Criança de 10 anos morre com suspeita de dengue em Ribeirão Preto

No momento em que as atenções das autoridades sanitárias se voltam para o risco do novo coronavírus, a dengue continua avançando no Estado de São Paulo. Na madrugada deste sábado, 1º, uma criança de dez anos morreu com sintomas da doença, em Ribeirão Preto, interior do Estado. É a segunda morte por suspeita de dengue registrada na cidade este ano.

A vítima estava internada desde a sexta-feira, 31, na unidade de emergência do Hospital das Clínicas. O paciente passou por atendimento na rede municipal, antes de ser encaminhado ao HC local. De acordo com a Secretaria Municipal de Saúde, o diagnóstico foi de dengue, mas ainda é preciso aguardar o resultado dos exames, por isso o caso é tratado como suspeito.

São Paulo tem 390 mil casos confirmados e 256 óbitos até o dia 11 de novembro. Em 15 de janeiro, uma menina de 8 anos morreu com sintomas de dengue hemorrágica. Ribeirão Preto registrou 596 casos da doença em janeiro, 134% a mais que no mesmo mês do ano passado.

Em Presidente Venceslau, no oeste paulista, um homem de 43 anos morreu, na quarta-feira, 29, com suspeita de doença hemorrágica. Ele estava internado na Santa Casa local. A cidade já havia registrado uma morte suspeita de dengue no dia 16 de janeiro. A vítima foi um servidor municipal de 48 anos. A prefeitura informou que ainda aguarda o resultado dos exames feitos no Instituto Adolfo Lutz, em São Paulo.

Outra morte com suspeita de dengue aconteceu também no dia 29, em Pirapozinho, na mesma região. A vítima, um idoso de 71 anos, apresentou sintomas e foi levada para o Hospital Regional de Presidente Prudente. A causa da morte constou no atestado de óbito, mas a prefeitura informou ser necessário aguardar os exames.

No oeste paulista, este ano, foram registradas mortes suspeitas por dengue também em Presidente Prudente e Parapuã – um caso em cada cidade. Houve ainda uma morte por dengue hemorrágica em Pederneiras.

A doença apresenta números elevados em muitas cidades do interior. Em Votuporanga, região norte do Estado, foram registrados 1.043 casos positivos este ano e tem 1.603 sendo investigados. Em São José do Rio Preto, foram 117 casos confirmados em janeiro, mas ainda há 571 em investigação. Catanduva tem 440 casos positivos e apura outros 1.043. Em Conchal, a situação é de epidemia, com 168 casos confirmados.

Em 2018, São Paulo registrou 444.593 casos de dengue, com 265 mortes, segundo o Ministério da Saúde. A Secretaria da Saúde do Estado informou que a doença é sazonal, com oscilação no número de casos e aumento a cada três ou quatro anos.

Desde o ano passado, há uma maior circulação do sorotipo 2 da dengue e quem teve a doença causada por vírus de outro tipo, pode apresentar quadro clínico mais grave quando infectado pelo tipo 2. A pasta informou que apoia as prefeituras em ações contra o mosquito Aedes aegypti, transmissor da doença.

Veja também

+ Maria Zilda relembra como soube que Ary Fontoura era gay: “A coisa mais incrível que já ouvi”
+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior