Geral

CPI de Brumadinho aprova relatório com pedido de indiciamento da Vale e Tüv Süd

Crédito: AFP

Vista aérea após o colapso da represa do Córrego do Feijão, em Brumadinho, no dia 3 de maio de 2019 (Crédito: AFP)

A Comissão Parlamentar de Inquérito (CPI) na Câmara sobre o desastre em Brumadinho (MG) aprovou nesta terça-feira, 5, em uma votação simbólica, relatório com pedido de indiciamento da Vale e da empresa alemã Tüv Süd por crime socioambiental e corrupção empresarial. O texto do deputado Rogério Correia (PT-MG) pede também o indiciamento por homicídio doloso e lesão corporal dolosa de 22 diretores da Vale, engenheiros e terceirizados, entre eles o ex-presidente da mineradora Fabio Schvartsman.

+ Mourão, sobre ser vice de Bolsonaro em 2022: ‘Estou trabalhando para isso’

Em 25 de janeiro, uma barragem da Vale em Brumadinho se rompeu, matando 252 pessoas. Há ainda 18 desaparecidos desde então. O reservatório já estava inativo, segundo a Vale, mas continha 12,7 milhões de metros cúbicos de rejeito de mineração, que atingiu funcionários e moradores da região.

A CPI fez ainda a denúncia de que há outras 20 barragens que estão com risco de rompimento, todas em Minas. A votação desta terça acontece quatro anos depois do rompimento de outra barragem, a de Mariana (MG), em 2015, que deixou 19 mortos.

“As empresas agiram em conluio que levou a um crime grave de corrupção empresarial, desacato ao meio ambiente e destruição ambiental séria, além de vidas que se perderam”, disse o relator Correa, que reforçou o pedido de crime doloso no texto. “Se colocamos é porque vislumbramos isso, foi um trabalho técnico de muita qualidade.”

O relatório traz ainda um projeto de decreto legislativo que propõe debate sobre reestatização da Vale, em mineração. Propõe também um conselho permanente de fiscalização da situação das barragens.

Familiares e amigos das vítimas dos rompimentos das barragens acompanharam a votação e distribuíram fotos dos mortos pelo plenário da comissão.

Nesta terça-feira, a Agência Nacional de Mineração (ANM) divulgou relatório que afirma que a Vale omitiu informações sobre a barragem que rompeu em Brumadinho.

Defesa

Em nota, a Vale afirmou que “respeitosamente discorda da sugestão de indiciamento de funcionários e executivos da companhia”. Também disse que os empregados “permanecerão colaborando ativamente com todas as autoridades competentes” que apuram o caso.

“O relatório recomenda os indiciamentos de forma verticalizada, com base em cargos ocupados em todos os níveis da empresa”, diz a nota. “A Vale considera fundamental que haja uma conclusão pericial, técnica e científica sobre as causas do rompimento da barragem B1 antes que sejam apontadas responsabilidades.”

Veja também

+ Ford anuncia local e investimento de US$ 700 milhões em fábrica que criará F-150 elétrico

+ RJ: tráfico promete caçar quem gravou equipe do Bravo da Rocinha: ‘Vai morrer’

+ Hubble mostra nova imagem de Júpiter e sua lua Europa

+ Após morte de cachorro, Gabriela Pugliesi adota nova cadela

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ MasterChef: mesmo desempregado, campeão decide doar prêmio

+ Arqueólogo leva 36 anos para montar maquete precisa da Roma Antiga

+ Peugeot apresenta sua primeira moto feita em parceria com a Mahindra

+ A Fazenda 12: Jojo Todynho causa e pede óleo ungido a Edir Macedo

+ Senado aprova alterações no Código de Trânsito Brasileiro

+ Por que não consigo emagrecer? 7 possíveis razões

+ O que é pior para o seu corpo: açúcar ou sal?

+As 10 picapes diesel mais econômicas do Brasil

+ Cozinheira desiste do Top Chef no 3º episódio e choca jurados

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar

+ Pragas, pestes, epidemias e pandemias na arte contemporânea