Covid: ‘Prevejo mais dois anos de problemas’, diz Arthur Virgilio

Crédito: Alex Pazuello

(Crédito: Alex Pazuello)

O prefeito de Manaus, Arthur Virgilio, participou de mais uma live da ISTOÉ. Confira trechos da conversa que ele teve com a coluna.

O senhor, que contraiu Covid-19, achou que não fosse sobreviver?
Quando cheguei ao hospital em São Paulo apareceu uma interrogação na minha vida: eu vivo ou não vivo? Até que num belo dia o dr. David Uip disse que apostava seu diploma que eu sobreviveria.

Não era só uma gripezinha?
Eu não recomendo a ninguém brincar com essa doença. As pessoas às vezes caem na irresponsabilidade de ir a festas e levar a vida normal.

Qual sua expectativa para o futuro diante da Covid?
Ainda prevejo mais dois anos de problemas. Espero que a vacina venha logo. Mas a metade deste século será de endemias por causa dos produtos químicos no meio ambiente e o desmatamento de florestas, como as da Amazônia.

Veja também

+ Grave acidente do “Cake Boss” é tema de reportagem especial

+ Pudim japonês não tem leite condensado; aprenda a fazer

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Cirurgia íntima: quanto custa e como funciona

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ O processo de formação como obra

+ Arte e algoritmo: Uma genealogia

+ Radicalmente vivo


Mais posts

Ver mais

Copyright © 2020 - Editora Três
Todos os direitos reservados.

Nota de esclarecimento A Três Comércio de Publicaçõs Ltda. (EDITORA TRÊS) vem informar aos seus consumidores que não realiza cobranças por telefone e que também não oferece cancelamento do contrato de assinatura de revistas mediante o pagamento de qualquer valor. Tampouco autoriza terceiros a fazê-lo. A Editora Três é vítima e não se responsabiliza por tais mensagens e cobranças, informando aos seus clientes que todas as medidas cabíveis foram tomadas, inclusive criminais, para apuração das responsabilidades.