Economia

Corrida pelo estoque de GLP gera atraso de 3 dias na entrega das distribuidoras


A reposição do GLP na rede revendedora para consumo residencial está atrasada em três dias por conta da corrida da população para estocar o produto, informou o presidente do Sindicato Nacional das Empresas Distribuidoras de Gás Liquefeito do Petróleo (Sindigás), Sérgio Bandeira de Mello.

Com mais procura do que as distribuidoras estavam programadas a atender, ou seja, com mais demanda do que oferta, o preço do produto se mantém estável, apesar de a Petrobras ter baixado o valor nas refinarias, que são o primeiro elo da cadeia fornecedora.

A Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP) registrou uma estabilização do preço médio. Mas, em alguns Estados, o preço está disparando.

Em Mato Grosso, o botijão chega a ser vendido a R$ 150, segundo levantamento da agência.

Bandeira de Mello diz que parte da população correu para estocar o GLP nos primeiros dias de isolamento por conta do coronavírus, o que teve efeito no mercado.

Ele argumenta que, com isso, uma minoria de revendedores está se aproveitando da escassez do produto para elevar o preço. “As distribuidoras estão entregando tudo que foi programado, mas não programaram a antecipação de compras”, afirmou.

+ Passageira agride e arranca dois dentes de aeromoça

Veja também
+ Dublê de 28 anos morre ao tentar recorde com manobra de moto
+ Casamento de Ana Maria Braga chega ao fim após marido maltratar funcionários, diz colunista
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Veja fotos de Karoline Lima, novo affair de Neymar
+ Lázaro Barbosa consegue fugir de novo da polícia após tiroteio
+ Gracyanne Barbosa dança pole dance com novo visual
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago