Economia

Correção: Lucro da ADM cresce 13,8% no 4º tri de 2021 e atinge US$ 782 milhões

A nota publicada anteriormente continha incorreção no texto. A receita da Divisão de Serviços Agrícolas e Oleaginosas foi de US$ 18,080 bilhões, e não US$ 18,080 milhões como informado. Segue a versão correta do texto:

A trading de commodities agrícolas Archer Daniels Midland (ADM), dos Estados Unidos, obteve lucro líquido de US$ 782 milhões, ou US$ 1,38 por ação, no quarto trimestre de 2021, informou a companhia nesta terça-feira. O resultado representa alta de 13,8% ante os US$ 687 milhões, ou US$ 1,22 por ação, registrados em igual período do ano anterior.


Em termos ajustados, o lucro foi de US$ 1,50 por ação, bem acima da expectativa de analistas consultados pela FactSet, de US$ 1,32 por ação. A receita registrou alta de 28,4%, para US$ 23,09 bilhões, superando a expectativa dos analistas, de US$ 20,21 bilhões.

“Ao entrarmos em 2022, estamos bem posicionados para capitalizar as fortes margens de esmagamento”, disse o presidente-executivo Juan Luciano em comunicado. A perspectiva é impulsionada por itens como “óleo vegetal como matéria-prima para diesel verde renovável” e etanol.

A companhia disse que seu conselho aumentou o dividendo trimestral em 8,1%, de US$ 0,37 por ação para US$ 0,40 por ação.

O novo pagamento, igual a US$ 1,60 por ano, representa um rendimento anual de cerca de 2,33% com base no preço de fechamento de ontem (24) de US$ 68,59, acima dos 2,16%.

A gigante do agronegócio de Chicago disse que o aumento do dividendo deve ser pago em 1º de março aos acionistas registrados em 8 de fevereiro.

A receita da Divisão de Serviços Agrícolas e Oleaginosas, que abrange compra, transporte e armazenagem de produtos agrícolas, assim como processamento de soja e outras oleaginosas, aumentou 25,8% no quarto trimestre ante igual período de 2020, para US$ 18,080 bilhões.

No segmento de soluções de carboidratos, que inclui amidos e adoçantes e etanol, a receita foi de US$ 3,20 bilhões, alta de 54,4% na comparação anual. A receita no segmento de nutrição cresceu 19,2%, em US$ 1,719 bilhão.