Finanças

Correção: Juros futuros fecham em alta com ajustes sobre início de corte da Selic


A matéria enviada anteriormente continha um erro de concordância verbal no título. Segue o texto com o título corrigido:

Os juros futuros de curto prazo fecharam em alta bem mais firme do que os longos, que encerraram nesta quinta-feira, 9, pouco acima dos ajustes anteriores. O mercado reduziu suas apostas de que o ciclo de cortes da Selic começará em julho, dando agora maior probabilidade de início nos encontros do Comitê de Política Monetária (Copom) de agosto ou mesmo de outubro. Além disso, a previsão do total acumulado de cortes para o ano, que até ontem era de 1,5 ponto, também ficou um pouco menor, entre 1,25 e 1,5 ponto, segundo operadores da área de renda fixa.

Ao término da sessão regular, o contrato de Depósito Interfinanceiro (DI) com vencimento em julho de 2016, o primeiro a vencer após a reunião de ontem, fechou em 14,129%, de 14,095% no ajuste de ontem, com 150.385 contratos. O DI para outubro de 2016 (126.630 contratos) subiu de 13,940% para 14,000%. O DI janeiro de 2017 (170.975 contratos) avançou de 13,585% para 13,680%. O DI janeiro de 2018, que movimentou 225.330 contratos, terminou em 12,55%, ante ajuste anterior de 12,48%. Nos longos, o DI janeiro de 2021 (80.925 contratos) fechou em 12,35%, de 12,31%.

A percepção de que o processo de corte da Selic pode demorar um pouco mais para começar do que o mercado esperava foi consolidada a partir de um conjunto de fatores: o comunicado da decisão do Comitê de Política Monetária (Copom) ontem – idêntico ao anterior – e preocupações com a inflação corrente reforçadas pelo salto da primeira prévia do IGP-M de junho. Tudo isso foi lido à luz da afirmação do novo presidente do Banco Central (BC), Ilan Goldfajn, de que o BC vai mirar o centro da meta de inflação de 4,5%. “Alguns investidores acreditavam que o comunicado do Copom ontem poderia já sinalizar sobre o início dos cortes, o que não aconteceu”, disse um gestor da área de renda fixa.

Na agenda, a Fundação Getulio Vargas (FGV) informou hoje que o IGP-M apontou inflação de 1,12% na primeira prévia do mês, ante 0,59% na primeira prévia de maio e 0,82% no fechamento do mês passado. Chamou a atenção o salto de 3,23% na inflação do atacado agrícola, ante 1,70% na primeira prévia do mês passado.

Veja também
+ Modelo Suzy Cortez vai ao treino da Argentina dar água de seu banho a Messi
+ Policial militar mata a tiros quatro pessoas em pizzaria de Porto Alegre
+ Mãe de Eliza Samudio diz que Bruno não paga pensão e que filho do goleiro se sente culpado pelo crime
+ Deputado dos EUA sugere mudar órbita da Lua para combater aquecimento
+ Mano Brown se irrita com possível acerto do Santos com volante do Corinthians: ‘Tá tirando’
+ Agência dos EUA alerta: nunca lave carne de frango crua
+ Após processar nora, mãe de Medina a acusa de ter destruído sua casa; veja fotos
+ Conheça a eficácia de cada vacina no combate à Covid-19
+ Yasmin Brunet quebra o silêncio
+ Fondue de chocolate com frutas fácil de fazer
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

Tópicos

taxas de juros