Geral

Coronavírus: como a pandemia e o isolamento podem interferir na nossa saúde mental

Crédito: Reprodução Web

A pandemia de coronavírus não está gerando só danos físicos, mas também prejuízos na saúde mental por conta da quarentena. Por determinação de governadores, a população está sendo mantida em regime domiciliar para que o vírus não se espalhe ainda mais e, com isso, causando um verdadeiro colapso em hospitais, que não conseguirão atender a todos os infectados ao mesmo tempo.

O fato de estar em casa em tempo integral pode mexer e muito com o nosso psicológico. É preciso exercitar não apenas o nosso corpo, mas também a nossa mente para que não sejam desenvolvidos traumas e desgastes emocionais no período de isolamento social. Alguns exercícios práticos ajudam nesse processo, como a leitura, deixar de acompanhar notícias sobre a doença na televisão o tempo todo, colocar uma música que você goste, conversar com algum amigo por telefone ou chamada de vídeo, ver um filme, entre outras atividades que podem fazer toda a diferença para a sanidade mental.

A IstoÉ conversou com Marilene Kehdi, psicóloga especialista em atendimento clínico com pós-graduação em Psicossomática, Psicopatologia, Geriatria e Gerontologia Social. Ela orienta como trabalhar a nossa mente da melhor forma possível diante desta pandemia.

Como cuidar da saúde mental em tempos de quarentena?
De acordo com a Organização Mundial da Saúde (OMS), a saúde mental é um estado de bem-estar no qual o indivíduo é capaz de usar suas próprias habilidades, recuperar-se do estresse, ser produtivo e contribuir com a comunidade. A saúde mental é afetada por vários fatores: uma rotina estressante, fatores biológicos e genéticos, questões de personalidade, questões ambientais, doenças físicas e experiências impactantes da vida, entre outros. E estamos todos vivendo uma experiência difícil em tempos de coronavírus.

Tem algum exercício mental que posamos fazer para nos mantermos equilibrados diante de tantas informações sobre a pandemia?
Neste momento é muito importante manter a calma e a paciência. Ter entendimento de que essa situação é assustadora, mas passageira. Vai passar. Procure manter o nível de estresse o mais baixo possível, mude o foco da atenção, não fique focado no problema 24 horas, ocupe sua mente com algo que relaxa, distraia e te cause bem estar. Quando surgirem pensamentos negativos e pessimistas, não os alimente, faça alguma coisa que tire a atenção deles. Saiba que o medo alimenta pensamentos negativos e esses enfraquecem, aniquilam, tiram a esperança, aumentam o nível de ansiedade e podem desencadear crises de pânico e depressão.

Muitas pessoas estão tomando medicamentos para relaxar, como soníferos e calmantes. Nesta época isso é o correto a fazer?
Tudo o que ameaça a saúde desperta o medo, isso é normal, o que não pode é alimentar esse medo.
Se você já tem um transtorno mental, como a ansiedade generalizada, algum tipo de fobia, depressão ou um transtorno bipolar, tome as medicações corretamente, não aumente as doses por conta própria. Se sentir que não está conseguindo lidar com a situação atual, entre em contato com seu médico. Hoje é possível fazer consulta e psicoterapia online. Use esses recursos a seu favor, em benefício da sua saúde mental.

Mantenha sentimentos positivos e crie uma rotina agradável. Manter a rotina bem equilibrada é fundamental para a saúde mental. Trabalhe remotamente, faça cursos online, leia bons livros, cozinhe, cante, dance, extravase o tédio, faça chamadas de vídeos para familiares e amigos, tenha interação com as redes sociais, faça isso de modo equilibrado. Essas são estratégias que ajudam a resistir ao confinamento, que é muito necessário no momento.

Esse momento que estamos vivendo pode acarretar traumas psicológicos futuros pós-pandemia?
Exercite a resiliência, a paz interior, reveja seus sonhos, objetivos, metas. Isso dá motivação, expectativa de vida, causa bem-estar e mantém o otimismo. Se você convive com outras pessoas no mesmo lar, empenhe-se em ter controle sobre algum hábito negativo, exercite a empatia e faça sua parte para manter a harmonia e a boa convivência entre todos. Não importa se nem todos fazem isso, faça sua parte e sirva de referência. Unidos (mesmo distantes), vamos superar essa fase. É um desafio que iremos vencer e que sairemos ainda mais fortalecidos. Os desafios fortalecem. Cuide da sua saúde mental hoje e sempre.