Esportes

Corinthians vai bem no 1º tempo, bate o Coritiba por 1 a 0 e se afasta do Z4

Timão fez um bom primeiro tempo e abriu o placar em cobrança de pênalti convertida por Fábio Santos. Depois, caiu de rendimento no segundo tempo, mas Coxa não ameaçou

Corinthians vai bem no 1º tempo, bate o Coritiba por 1 a 0 e se afasta do Z4

 

Depois de um jejum de quatro partidas sem vencer, o Corinthians bateu o Coritiba por 1 a 0, nesta quarta-feira, no Couto Pereira, em jogo válido pela 23ª rodada do Brasileirão-2020. Com gol de Fábio Santos em cobrança de pênalti no primeiro tempo, o Alvinegro marcou três pontos importantes para subir na tabela e se afastar do Z4, onde está o Coxa.

TABELA
> Veja classificação e simulador do Brasileirão clicando aqui

O primeiro tempo começou já mostrando o que seria boa parte dele: o Timão chegando com perigo. E a primeira grande chance saiu dos pés de Fagner, que cruzou na cabeça de Jô, que direcionou a finalização para fora do gol, faltou pouco para abrir o placar. Os paranaenses tentavam responder e até conseguiam trocar alguns passes, mas falhavam na conclusão do lance.

Mesmo assim, o Corinthians permanecia como o time mais organizado em campo. Foi nesse momento que Lucas Piton tentou cruzar para área e a bola bateu na mão de Maílton, apesar de o jogo seguir, o VAR chamou Leandro Vuaden para a revisão, e o árbitro marcou pênalti. Fábio Santos chamou a responsabilidade e converteu a cobrança para colocar o Alvinegro na frente.


+ Grávida do quinto filho, influenciadora morre aos 36 anos
+ Após assassinar a esposa, marido usou cartão da vítima para fazer compras e viajar com amante

Se já tinha o jogo sob controle antes do tento, o Timão passou a dominar ainda mais as ações. O Coritiba tentava chegar e até concatenava boas jogadas, mas Walter, substituto de Cássio, que sentiu a coxa no aquecimento, pouco trabalho nos primeiros 45 minutos. Muito por conta da boa marcação corintiana, que impedia as chegadas dos donos da casa. Time de Mancini estava bem seguro.

Já na reta final da primeira etapa, Fagner mais uma vez chegou pela lateral direita, onde teve muita liberdade, para cruzar para a área e achou Lucas Piton, que se livrou da marcação e cabeceou, mas assim como no lance de Jô, a bola foi para fora. Mas ainda teria mais Fagner nos acréscimos, que depois de bela jogada cruzou para Gabriel, na meia-lua, chutar e Wilson fazer boa defesa.

Na volta do intervalo, Rodrigo Santana tirou Mattheus Oliveira e colocou Pablo Thomaz. Não necessariamente essa alteração foi determinante para o restante do segundo tempo, mas fato é que o cenário mudou e o Coritiba passou a ser superior, enquanto o Timão teve uma queda significativa de rendimento, sofrendo muito mais do que havia sofrido durante toda a primeira etapa.

A partida passou a ficar mais truncada, sem grandes chances para ambos lados, tanto é que o primeiro lance de relativo perigo aconteceu somente aos 15 minutos, quando Pablo Thomaz conseguiu cabecear no meio da zaga alvinegra, mas a bola ficou tranquila para a defesa de Walter. O Corinthians, apesar de não ser tão ameaçado, não conseguia responder no ataque.

Alguns minutos depois, aos 24, Giovanni Augusto arriscou colocar uma “lei do ex” em prática, mas Gil desviou o chute e a bola foi para escanteio, passando perto do gol. O duelo, a cada momento que passava, tinha um decréscimo no nível técnico, o que trazia poucas emoções. No entanto, ambos os técnicos tentaram mudar esse cenário promovendo algumas alterações.

Entre essas mexidas estava a entrada de Sarrafiore, que arriscou um chute colocado de fora e exigiu que Walter fosse buscar no cantinho, jogando a bola para escanteio. Na cobrança, a bola ficou rebatendo na área de fora perigosa, mas a zaga corintiana afastou dali. Alguns instantes depois, Gabriel Pereira, jovem da base alvinegra, arriscou um chute de fora que passou perto do gol de Wilson. Foi a melhor chance do Corinthians em toda a segunda etapa.

Sem ser ameaçado pela falta de condições técnicas do adversário, o Timão garantiu uma vitória importantíssima para a sequência do Brasileirão-2020. Com o triunfo, a equipe de Mancini foi a 29 pontos na nona posição na tabela, enquanto o Coxa permanece com 20, na 18ª colocação, dentro do Z4. O Alvinegro volta a campo somente na próxima quarta-feira, para enfrentar o Fortaleza, já o os paranaenses pegam o RB Bragantino, no dia 5 de dezembro.

FICHA TÉCNICA
CORITIBA 0 X 1 CORINTHIANS
Local:
Couto Pereira, Curitiba (PR)
Data-Hora: 25/11/2020 – 21h30
Árbitro: Leandro Pedro Vuaden (RS)
Assistentes: Jorge Eduardo Bernardi (RS) e Jose Eduardo Calza (RS)
VAR: Daniel Nobre Bins (RS)
Público/renda: Portões Fechados
Cartões amarelos: Giovanni Augusto e Maílton (CTB) Luan (COR)
Cartões vermelhos:
Gols: Fábio Santos (20’/1ºT) (0-1)

CORITIBA: Wilson; Maílton, Sabino, Rhodolfo e William Matheus. Matheus Sales (Matheus Galdezani, aos 37’/2ºT), Matheus Bueno (Osman, aos 30’/2ºT), Giovanni Augusto (Sarrafiora, aos 37’/2ºT) e Mattheus Oliveira (Pablo Thomaz, no intervalo); Rafinha e Robson (Bryan Lucumí, aos 16’/2ºT). Técnico: Rodrigo Santana.

CORINTHIANS: Walter; Fagner, Bruno Méndez, Gil e Fábio Santos; Gabriel (Camacho, aos 39’/2ºT), Xavier (Éderson, aos 39’/2ºT), Roni (Gabriel Pereira, aos 30’/2ºT), Lucas Piton (Everaldo, aos 20’/2ºT) e Luan (Cazares, aos 30’/2ºT); Jô. Técnico: Vagner Mancini.

Veja também

+ 5 benefícios do jejum intermitente além de emagrecer
+ Jovem morre após queda de 50 metros durante prática de Slackline Highline
+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"
+ Truque para espremer limões vira mania nas redes sociais
+ Mulher finge ser agente do FBI para conseguir comida grátis e vai presa
+ Zona Azul digital em SP muda dia 16; veja como fica
+ Estudo revela o método mais saudável para cozinhar arroz
+ Boletim médico de apresentador da RedeTV! indica novo sangramento no cérebro
+ Yamaha se despede da SR 400 após 43 anos de produção
+ Cientista desvenda mistério do monstro do Lago Ness. Descubra!
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago
+ Cinema, sexo e a cidade
+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel