Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Com o fim da temporada 2021 se aproximando, o Corinthians se prepara para receber os jogadores que estão emprestados a outros clubes até dezembro deste ano. O Timão vai tentar lucrar com possíveis transferências destes atletas, e a tendência é que quase nenhum deles seja aproveitado para o próximo ciclo. As informações são do GE.

A lista dos que voltarão a ter vínculo com o Corinthians conta com o zagueiro Caetano, o lateral Matheus Alexandre, os volantes Éderson e Matheus Jesus, os meias Fessin Sornoza e os atacantes André Luis, Everaldo, Janderson, Jonathan Cafu, Matheus Davó e Rafael Bilu.

Entre os jogadores citados, Éderson, que atuou pelo Fortaleza em 52 oportunidades, é o nome de maior destaque. Ele é um dos pilares da grande campanha que o clube cearense vem fazendo no Campeonato Brasileiro. De olho em possíveis ofertas do exterior, a diretoria do Corinthians não tem pressa para definir a situação dele. Caso nenhuma equipe tente contratar o jogador, ele pode acabar atuando pelo time alvinegro na próxima temporada.

Dentre todos os atletas que voltam no fim do ano, o que mais teve oportunidade de atuar pelo Timão foi Sornoza, que está emprestado ao Independiente Del Valle. Com contrato até o fim do ano que vem com a equipe do Parque São Jorge, o jogador pode ser reemprestado ao Del Valle. A diretoria alvinegra prefere uma venda, mas sabe que é difícil recuperar o investimento de R$ 11,5 milhões no meia. As negociações para mantê-lo na equipe equatoriana já começaram.

Além dos atletas que retornam em dezembro, o Timão ainda conta com outros jogadores emprestados como Bruno Méndez (Internacional), Mateus Vital (Panathinaikos, da Grécia), Ramiro (Al-Wasl, dos Emirados Árabes Unidos), Madson (Estrela Amadora, de Portugal) e Léo Natel (Apoel, do Chipre). Todos eles têm contrato de empréstimo até o meio do ano que vem.

A diretoria alvinegra entende que as transferências de atletas são um fator primordial para ajudar com as finanças do time. Em 2021, o Corinthians chegou a estipular a meta de R$ 95 milhões de receita com negociações, mas o clube já tem convicção de que o valor não será atingido.