Mundo

Coreia do Norte suspende entrega de vistos antes de seu 70º aniversário

Coreia do Norte suspende entrega de vistos antes de seu 70º aniversário

Pyongyang suspende emissão de vistos às vésperas do 70º aniversário da RPDC - AFP/Arquivos

A Coreia do Norte suspendeu a entrega de vistos de turista, com a proximidade das comemorações do 70º aniversário de sua fundação, previstas para o mês que vem – anunciou nesta terça-feira (14) uma agência de viagens especializada com sede na China.

Em sua página on-line, a Koryo Tours, uma empresa popular entre os ocidentais que querem viajar para a Coreia do Norte, diz que foi informada, em 13 de agosto, de que “todas as solicitações de visto estavam congeladas”.

O governo não se deu nenhuma razão para a mudança, disse a Koryo Tours, acrescentando que a medida estará em vigor até 9 de setembro, data das celebrações do 70º aniversário da República Popular Democrática da Coreia (RPDC), o nome oficial do regime.

A data é, com frequência, comemorada com grandes desfiles militares, ou espetáculos, nos quais milhares de pessoas executam impressionantes coreografias.

O presidente chinês, Xi Jingping, está entre as autoridades que devem assistir aos festejos.

Durante seu discurso de Ano Novo, o líder Kim Jong-un declarou que os norte-coreanos “celebrariam o 70º aniversário de sua República como um grande acontecimento”.

Desde o início de 2018, a península passa por um processo de distensão, após anos de atrito pelos programas nuclear e balístico da Coreia do Norte, que lhe valeram uma onda de sanções internacionais.

Esse degelo esteve marcado por duas reuniões entre Kim e o presidente sul-coreano, Moon Jae-in, e uma cúpula histórica entre Kim e o presidente americano, Donald Trump.

Kim se comprometeu a trabalhar a favor da desnuclearização da península, uma fórmula vaga sujeita a diversas interpretações.

Até o momento, Pyongyang não adotou nenhuma medida confirmada e denunciou as exigências “unilaterais” dos Estados Unidos e seus “métodos de gângsteres”.

Ao mesmo tempo, os Estados Unidos pediram à comunidade internacional que mantenha as severas sanções contra Pyongyang.

Ainda não se sabe se, nesse contexto, a Coreia do Norte exibirá neste aniversário seu mais potente armamento, como costuma fazer nesse evento.