Esportes

Copa do Mundo masculina terá árbitras pela 1ª vez

ROMA, 19 MAI (ANSA) – A Copa do Mundo de 2022, no Catar, terá mulheres na arbitragem pela primeira vez na história do torneio.   

Entre as 129 autoridades selecionadas para a próxima edição do Mundial, a Fifa incluiu três árbitras e três assistentes. As seis mulheres escolhidas pela entidade foram Stephanie Frappart (França), Salima Mukansanga (Ruanda), Yoshimi Yamashita (Japão), Neuza Back (Brasil), Karen Díaz Medina (México) e Kathryn Nesbitt (EUA).   


“Como sempre, o critério que usamos em primeiro lugar é a qualidade e os árbitros selecionados representam o mais alto nível de arbitragem em todo o mundo. Desta forma, enfatizamos claramente que é a qualidade que conta para nós e não o gênero.   

Espero que, no futuro, a escolha de árbitras para importantes competições masculinas seja percebida como algo normal e não mais sensacional”, disse o italiano Pierluigi Collina, presidente do Comitê de Arbitragem da Fifa.   

O Brasil contará com dois árbitros durante a Copa do Mundo: Raphael Claus e Wilton Pereira Sampaio. Já Neuza Back, Bruno Boschilia, Rodrigo Figueiredo, Bruno Pires e Danilo Simon serão auxiliares. O país, no entanto, não terá nenhum representante no VAR.   

Entre os italianos, o único selecionado para apitar as partidas do torneio foi Daniele Orsato, já Ciro Carbone e Alessandro Giallatini estão presentes no quadro de assistentes. A Fifa ainda escolheu Paolo Valeri para ficar no árbitro assistente de vídeo.   

Um dos juízes selecionados que mais chamou atenção foi Janny Sikazwe, da Zâmbia, que deu o apito final em duas partidas válidas pela Copa das Nações Africanas antes dos 90 minutos.   

(ANSA).