Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

A principal aliança de partidos políticos de oposição da Venezuela não foi convocada pela delegação dos Estados Unidos que viajou ao país para continuar as negociações com o governo do presidente Nicolás Maduro, informou um porta-voz nesta terça-feira.

“Somos um corpo político, e não institucional. Se alguém nos convida para conversar, assim fazemos, mas não fomos convocados, não conhecemos a agenda”, disse Omar Barboza, coordenador do bloco de oposição.

Sobre a visita de representantes de Washington, que coincide com problemas de abastecimento e o aumento dos preços dos combustíveis após a guerra na Ucrânia, Barboza insistiu em que a “plataforma unitária” não tem informações.

“Eles têm uma agenda própria, que desconhecemos”, respondeu o coordenador em entrevista coletiva, durante a qual reiterou o plano de convocar eleições primárias para definir um candidato que enfrente o chavismo nas eleições presidenciais de 2024.

O líder opositor Juan Guaidó não descarta ser um dos candidatos nas primárias, segundo fontes, embora Barboza tenha manifestado hoje que a plataforma unitária não tem como clara a decisão de Guaidó: “Ele não anunciou isso, isso tem que ser decidido por ele, se irá participar”, disse à AFP.

A delegação do governo dos Estados Unidos chegou ontem para dar prosseguimento às conversas iniciadas em março, anunciou Maduro, sem dar detalhes sobre os funcionários que a compõem ou os temas da agenda, embora tenha lembrado que a Venezuela “está no mercado de petróleo”.