Esportes

Contratação do goleiro Bruno é alvo de protesto de torcedores do Operário-MT

Crédito: Renata Caldeira/TJMG

Jogador iria trabalhar no Clube Esportivo Operário Várzea-grandense, time com sede em Várzea Grande (Crédito: Renata Caldeira/TJMG)

A possibilidade de o goleiro Bruno jogar pelo Operário-MT não agradou parte da torcida do clube. Um protesto contra o jogador foi realizado na última segunda-feira (21), na porta do estádio Municipal Dito Souza, em Várzea Grande, na Grande Cuiabá. Um vídeo divulgado pelo Portal UOL, de um perfil do Instagram, mostra a revolta dos torcedores.

A manifestação aconteceu antes da partida da equipe de Mato Grosso contra o Poconé, em partida válida pelo estadual deste ano. Entre os cânticos entoados pelo torcedores estavam frases como: “Quem contrata feminicida apoia o feminicídio”, cantavam os torcedores.

Ainda segundo o UOL, a procuradora do Estado e presidente do Conselho, Glaucia Amaral, afirmou que a manifestação não era contra a ressocialização de Bruno, mas sim “contra o retorno dele à condição de ídolo”, relata a procuradora.

Como se não bastasse a imagem ruim perante a torcida, o posicionamento contrário ao negócio também partiu de alguns patrocinadores do Campeonato Estadual Mato-Grossense. Duas empresas, uma cooperativa e a outra de eletrodomésticos, proibiram a utilização das marcas no uniforme do Operário-MT.

Pelos crimes cometidos em 2010 de sequestro, assassinato e ocultação de cadáver da ex-companheira Eliza Samudio, Bruno foi condenado a mais de 20 anos de prisão .