Coronavírus

Conselheiro do Botafogo ataca rivais e diz que Flamengo ‘enfeitiçou’ Bolsonaro

Crédito: Reprodução YouTube

Ex-presidente do Botafogo Carlos Augusto Montenegro (Crédito: Reprodução YouTube)

A volta do futebol carioca está gerando uma série de polêmicas entre os dirigentes. Carlos Augusto Montenegro, membro do Conselho Gestor do Botafogo, detonou o Flamengo e o Vasco pela pressão para a retomada do Estadual em meio à pandemia do coronavírus.

Em entrevista à “Rádio Transamérica”, ele afirmou que os rivais estão “alucinados”. Sobrou até para o presidente da República, Jair Bolsonaro (sem partido).

“É uma loucura. Flamengo e Vasco, com os clubes menores, estão alucinados com o campeonato voltar em junho. Eu não estava entendendo. O Flamengo querendo jogar quinta-feira (contra o Bangu). Descobri que o presidente vem assistir ao jogo sem público. Nem sei como é que pode, mesmo sendo presidente. Isso talvez seja uma satisfação pessoal”, criticou.

Montenegro, foi além nas críticas ao rubro-negro, de acordo com o jornal Lance.

“O Flamengo desprezou o Carioca, brigou com a Globo, os jogos não estão sendo transmitidos, e enfeitiçou o presidente da República e o presidente da Federação (de futebol do Rio – Rubens Lopes). O Flamengo realmente está em outro patamar, acha que joga sozinho, mas vai ter que respeitar”, afirmou.

O dirigente voltou a afirmar que o fogão e o tricolor carioca não jogarão em junho, custe o que custar.

“O negócio é tão idiota, não sei mais qual palavra que eu falo. É um protocolo de falta de respeito. É uma coisa triste e lastimável, tenho vergonha. Botafogo e Fluminense não vão jogar em junho, vamos às últimas consequências”, garantiu.

Veja também

+ Entenda como a fase crítica da pandemia de Covid-19 pode ter sido superada em SP
+ Pandemia adia cirurgia e saúde de Schumacher piora
+ Ford Ranger supera concorrentes e é líder de vendas
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Cantora Patricia Marx se assume lésbica aos 46 anos de idade
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior