Ediçao Da Semana

Nº 2742 - 12/08/22 Leia mais

Luz natural, vasos de enormes costelas-de-adão e outras decorações verdes (e vivas) não são novidades. E muitos podem achar que esses elementos de design de interiores tiveram sua popularidade acelerada graças à pandemia, que limitou drasticamente o — já escasso — tempo das pessoas em contato com a natureza.

+ 7 maneiras com que o home office provoca crises de enxaqueca

+ Morar perto de áreas verdes diminui sintomas da TPM, sugere estudo

A ideia de que as pessoas anseiam pela interação com certos elementos naturais decorre da biofilia — a hipótese de que seres humanos têm um desejo intrínseco de conectar-se com os seres vivos. Atualmente, o design biofílico une os princípios da hipótese com o design de espaços em que os humanos passam a maior parte do tempo. Com informações da “Popsugar”, conheça os benefícios da prática.

Biofilia e saúde

De acordo com a Agência de Proteção Ambiental dos Estados Unidos (EPA), humanos passam uma média de 90% de seu tempo em ambientes fechados, onde as concentrações de alguns poluentes são mais altas. 

Ao mesmo tempo, estudos mostram que passar tempo junto à natureza traz benefícios ​​para a saúde. Por isso, foi notado um aumento constante nos projetos de interiores biofílicos em espaços comerciais e residenciais.

Benefícios do design biofílico

Segundo o portal “Ambius”, os benefícios da biofilia no ambiente são:

• Redução do absenteísmo dos funcionários e maior engajamento no ambiente profissional;

• Saúde melhorada;

• Aumento do humor e sensação de bem-estar;

• Maior produtividade;

• Níveis de estresse reduzidos;

• Restauração mental e fadiga reduzida.

Além disso, a vida no ambiente oferece uma oportunidade de estar em contato com a natureza mesmo no meio da cidade.