Mundo

Confrontos no noroeste da Síria matam mais de 80 combatentes

Confrontos no noroeste da Síria matam mais de 80 combatentes

Nuvens de fumaça após bombardeios do regime sírio ao povo de Hamameyat, na província de Hama - AFP

Mais de oitenta combatentes morreram em confrontos nas últimas horas entre as forças dominadas pelos jihadistas e as tropas do regime sírio perto de um reduto insurgente na região noroeste do país, informou a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH).

Sete civis também morreram à margem dos combates nesta região, segundo a mesma fonte.

Os combates continuavam perto da região de Idlib, controlada pelos jihadistas do Hayat Tahrir al-Sham (HTS), grupo dominado pelo ex-braço sírio da Al-Qaeda.

Desde o fim de abril o regime sírio e sua aliada Rússia intensificaram os ataques na província de Idlib e seus arredores.

A região abriga três milhões de civis.

Além do HTS, outras facções jihadistas e rebeldes estão presentes.

Na quarta-feira à noite, as forças dominadas pelo HTS assumiram o controle do vilarejo e da colina de Hamameyat após confrontos que mataram 28 combatentes do lado do regime e 19 do lado dos insurgentes, segundo o OSDH.

“Os combates continuam, enquanto a aviação e a artilharia do regime bombardeiam a região”, afirmou o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahman.

Nos confrontos morreram até o momento 46 combatentes do regime e 36 do lado dos rebeldes, segundo o OSDH.

A região, que permanece fora do controle de Damasco, é cenário de uma escalada violenta desde um acordo anunciado em setembro de 2018 entre Rússia e Turquia, apoio dos rebeldes, para evitar uma grande ofensiva.

Até o momento os bombardeios mataram mais de 560 civis, segundo o OSDH, e obrigaram 330.000 pessoas a fugir, de acordo com a ONU.

A Síria vive desde 2011 uma guerra que deixou mais de 370.000 mortos.