Tecnologia & Meio ambiente

Confira a situação do novo coronavírus na Europa

Confira a situação do novo coronavírus na Europa

A COVID-19 surgiu em Wuhan, na China - AFP

Confira a situação da epidemia do novo coronavírus na Europa nesta quinta-feira (27):

– Itália –

A Proteção Civil italiana publicou nesta quinta um novo balanço que revisou as cifras oficiais para 650 infectados e 17 mortos. No anterior, divulgado na quarta, eram 400 infectados e 12 mortos.

O país é o território mais afetado da Europa e se transformou em um canal de difusão da doença pelo continente, onde muitos dos casos registrados em outros países são de pessoas que recentemente viajaram para locais no norte da Itália.

– Espanha –

Há 17 casos registrados, dos quais 12 são vinculados à Itália. Três casos foram de pessoas infectadas em território espanhol, entre elas um homem em estado grave na região de Madri e um caso em Sevilha.

Um hotel em Tenerife, no arquipélago das Canárias onde se hospedaram italianos infectados, foi colocado em quarentena desde a última terça.

Cerca de 240 mil italianos vivem na Espanha. Em uma tentativa de limitar a propagação, Madri sugeriu que os cidadãos não viajem para o norte da Itália e a outros países de risco.

– França –

Foram registrados 38 casos contra 18 do dia anterior, anunciou o ministro da Saúde, Olivier Véran. No país 12 pacientes se curaram, 24 seguem hospitalizados e tiveram duas mortes desde a chegada do vírus ao território em 24 de janeiro.

A França, que colocou os seus cidadãos que voltaram de Wuhan em quarentena, alertou sobre viajantes vindos do norte da Itália e sobre os estudantes que voltem da China, Cingapura, Coreia do Sul e das regiões italianas da Lombardia e Vêneto a ficarem isolados por 14 dias.

– Alemanha –

Há 44 casos, entre os quais 14 funcionários de uma empresa da Baviera contaminados por um colega que voltou de um curso na China.

O governo anunciou nesta quinta que os viajantes procedentes de China, Coreia do Sul, Irã e Itália deverão informar seus endereços na Alemanha.

Medidas locais são adotadas, como manter em quarentena centenas de pessoas que participaram – assim como um casal contaminado – de um carnaval em Renânia do Norte-Vestfália.

– Suíça –

Existem 4 casos. O primeiro próximo a Milão, na Itália. Outros dois foram infectados na região fronteiriça com a Itália. Outro registrado em Genebra, na fronteira com a França.

– Reino Unido –

Há 15 casos desde o começo da epidemia, dois vinculados a Tenerife e à Itália. As autoridades desaconselham viagens às zonas de risco.

– Grécia –

Três casos registrados: dois gregos que viajaram ao norte da Itália e um menino de 10 anos. O governo cancelou as festas de carnaval do final de semana e aprovou um decreto que prevê a proibição temporária de deslocamento aos países afetados.

– Croácia –

Há três casos, um jovem que esteve na Itália recentemente e o seu irmão, além de um homem que trabalhava na cidade italiana de Parma.

– Áustria –

Foram registrados três casos, entre eles de um jovem casal de italianos que trabalhava como recepcionista em um hotel de Innsbruck.

– Bélgica –

Há um caso, de um homem que chegou de Wuhan no início de fevereiro. Sua quarentena já terminou.

– Dinamarca –

Há um caso. As pessoas que chegam do norte da Itália com sintomas são convidadas a fazer o exame.

– Noruega –

Há quatro casos. Uma pessoa que veio da China, que não apresenta sintomas, e outras três anunciadas nesta quinta. Entre eles, dois relacionados à epidemia na Itália e ao Irã.

– Finlândia –

Dois casos, o de um turista chinês na Lapônia detectado no final de janeiro e outro anunciado na quarta, de um finlandês que esteve no norte da Itália.

– Suécia –

Sete casos. O primeiro é de uma mulher que esteve na região chinesa de Wuhan. Entre os seis casos, há dois relacionados à Itália, um ao Irã e outro com a Alemanha.

– Países Bálticos –

Um caso na Estônia (um iraniano residente no país). A Lituânia declarou o estado de “situação extrema” para facilitar o desbloqueio de recursos. A Letônia reservou leitos hospitalares e pede para que as pessoas que chegarem das zonas de risco permanecerem isoladas ao menos por 14 dias.

– Geórgia –

Um caso, um georgiano que voltou do Irã.

– Romênia –

Um caso, o de um homem que entrou em contato com um italiano que visitou este país.

– Macedônia do Norte –

Um caso, de uma mulher que voltou da Itália.

– Rússia –

Cinco casos, entre eles dois chineses já curados, e três russos repatriados do cruzeiro em quarentena no Japão. As autoridades desaconselham viagens À Itália, ao Irã e a Coreia do Sul.

– Holanda –

Primeiro caso confirmado na Holanda, de um paciente que voltou do norte da Itália.

Veja também

+ Toyota Corolla Cross é SUV do Corolla para brigar com Jeep Compass e cia; confira imagens oficias
+ Robert De Niro reduz limite do cartão da ex-mulher e diz que coronavírus implodiu suas finanças
+ MasterChef estreia sem "supercampeão" e cheio de mudanças
+ Gafanhotos: cidade na Bahia enfrenta invasão de insetos
+ Coronel da PM diz que Bolsonaro é ‘falastrão’ e renuncia à entidade de Oficiais
+ A “primavera das bikes” pós-pandemia vai chegar ao Brasil?
+ Tubarão-martelo morde foil de Michel Bourez no Tahiti. VÍDEO
+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?
+ Saiba em quais lugares o contágio pelo novo coronavírus pode ser maior