Esportes

Confiante, Gabriel diz que o pior momento do Botafogo ‘já passou’ no Brasileiro

Já passou o pior momento do Botafogo no Campeonato Brasileiro. Pelo menos para o zagueiro Gabriel, que, em entrevista coletiva nesta quarta-feira, afirmou a necessidade de o time concentrar todas as suas atenções nos seis jogos restantes do Campeonato Brasileiro para escapar das últimas colocações e, consequentemente, do rebaixamento para a Série B.

“Todo jogador não espera viver um momento difícil desse, estar perto do Z-4. Acaba entrando a insegurança, bate a dúvida, a desconfiança. Mantivemos a confiança e a humildade de trabalhar, neste momento difícil. Mas passou, agora queremos avançar para não entrar mais nessa zona de desconforto”, afirmou o defensor.

A vitória sobre o Avaí, na última segunda-feira, por 2 a 0, tirou o time dos últimos quatro lugares na classificação. Gabriel aproveitou para elogiar o trabalho do técnico Alberto Valentim, que, segundo ele, deixou a equipe mais agressiva.

“Com o Valentim temos menos posse de bola, mas somos mais agressivos e criamos mais chances. O Valentim pede muito a verticalização das jogadas. Em um mês de trabalho, não dá para mudar muito. Não tivemos tempo suficiente para treinar. Acho que foram cinco jogos em 16 dias. Às vezes não dá tempo de colocar a filosofia de trabalho em prática e fica mais complicado para o jogador. Vemos em vídeo e na pratica já dentro de campo as teorias que querem implementar. Agora teremos uma semana cheia para treinar, o que vai ajudar”, disse Gabriel, referindo-se ao duelo com o Athletico-PR, domingo, às 18 horas, na Arena da Baixada, em Curitiba.

Outro que estava confiante, após a vitória de segunda-feira, foi o lateral-esquerdo Yuri, que fez questão de elogiar o trabalho do “ídolo” Diego Souza, autor do segundo gol, depois de sair do banco de reservas, em entrevista nesta quarta-feira. “Desde que o Diego foi para o banco (para o jogo com o Santos) ele continuou a mesma coisa, não mudou a fisionomia ou a forma de treinar. Sempre o vi como uma referência, agora sou mais fã ainda pela pessoa dele. Gente boa com todo mundo, trata todos de forma igual. Continuou tentando ajudar, como com conselhos no intervalo no intervalo.”

Formado nas categorias de base, Yuri, de 23 anos, assumiu a lateral esquerda, após a contusão de Gilson no jogo com o Palmeiras, em 12 de outubro, e está sendo um dos destaques da equipe, mas ele não vai poder enfrentar o Athletico-PR por causa do terceiro certão amarelo.

“Sempre intercalei a lateral e o meio-campo. Me sinto bem nas duas posições. Tenho jogado mais na lateral e tentado aproveitar da melhor maneira. Tenho me preparado fisicamente e mentalmente, encarado cada jogo como o último da minha vida. Tenho vivido dias diferentes, pessoas na rua parando para tirar foto, estou muito feliz. Pretendo crescer a cada dia.”

O Botafogo soma 36 pontos e está na 14.ª posição. O time briga com Ceará, Cruzeiro e Fluminense para fugir da zona da degola.