ISTOÉ Gente

Condenado por assassinato, goleiro Bruno vira garoto-propaganda de canil

Crédito: Reprodução Instagram

Mesmo após ser condenado pela Justiça a cumprir uma pena de 22 anos e três meses pelo assassinato e ocultação de cadáver de Eliza Samudio, o goleiro Bruno, que cumpre prisão em regime semiaberto desde julho de 2019, virou garoto-propaganda de um canil, segundo informações da coluna de Fábia Oliveira, do jornal O Dia, do Rio Janeiro.

O que mais choca é que quando surgiram as primeiras notícias sobre onde estaria o corpo de Eliza, diziam que cachorros da raça Rottweiler teriam comido.

Ao saber que Bruno é garoto-propaganda, um seguidor questionou o atleta sobre a polêmica que esse anúncio poderia causar novamente em sua vida, Bruno respondeu: “Você acredita realmente no que foi noticiado no passado? Amigo, abra a mente! Na época, foram feitos exames que comprovaram que tudo não passou de imaginação daquele noiado do meu sobrinho”.

LEIA TAMBÉM: Gloria Perez critica propaganda de canil com goleiro Bruno: ‘É um deboche’

Vale lembrar que a Globoplay iria fazer uma série sobre o assassinato de Eliza Samúdio, que recontaria o crime cometido pelo goleiro em 2010. Uma das cenas da trama iria contar com a presença de cães da raça rottweiler devorando Samúdio. O projeto foi cancelado temporariamente.

Veja também

+ Confira 4 dicas para descobrir se o mel é falsificado

+ Conheça o phloeodes diabolicus "o besouro indestrutível"

+ MG: Pastor é preso por crime sexual e alega que caiu em tentação

+ App permite testar melhor design de sobrancelhas para você

+ Teve o auxílio emergencial negado? Siga 3 passos para contestar no Dataprev

+ Caixa substitui pausa no financiamento imobiliário por desconto de até 50% na parcela

+ Descoberta oficina de cobre de 6.500 anos no deserto em Israel

+Vídeo mostra puma perseguindo um corredor em trilha nos EUA

+ Tubarão é capturado no MA com restos de jovens desaparecidos no estômago

+ 12 razões que podem fazer você menstruar duas vezes no mês

+ Arrotar muito pode ser algum problema de saúde?

+ Educar é mais importante do que colecionar